Menu fechado

Meu vício é foder dentro do carro

Meu vício foder dentro do carro, na verdade é dar a bunda dentro de meu carro, amo dar meu cuzinho em estacionamentos. Eu e meu marido formamos um jovem casal, de famílias tradicionais e bem conhecidas e somos empresários, com consultório renomado, por isso temos muito cuidado e receio com nosso casamento liberal, pois para familiares, amigos e clientes, seria algo absurdo. Somos um casal bonito e de bom padrão social. Sempre fui viciada em sexo perigoso, com machos praticamente desconhecidos e em locais onde a adrenalina possa estar lá em cima, ou seja, locais com risco de ser flagrada, principalmente dando essa minha bela bunda. E o instrumento que uso para ter sempre novos homens é pelo meu e-mail, somente, que deixo a disposição de todos e avalio com carinho todas as mensagens. E sou logo jogo aberto com os machos: Digo que somos liberais, meu marido é corno e não procuro caso sério nem amor. quero somente dar a bunda dentro do carro e em locais movimentados, já para ser bem clara. Hoje, sexta-feira dia 15 de Abril, fui para a casa dos meus pais em Aldeia e, na subida para lá eu marquei num porto famoso, com novo amigo com quem já troco e-mails e zap há quase 1 mês. Paramos e nos conhecemos. Depois seguimos em meu carro para essa estrada de barro, no Km 07 do local, onde várias casas populares estão sendo construídas. Outra coisa que faço questão é registrar os vídeos e fotos, mas somente com meu celular, para enviar por e-mail para os amigos. e o corno adora olhar sempre o que a esposinha faz vários dias por semana. Chegamos nesse local e paramos.

Meu vício é foder dentro do carro

Meu vício é foder dentro do carro

Meu vício é foder dentro do carro

O carro ficou ligado, com ar condicionado amenizando o calor que fazia do lado de fora, algumas pessoas passavam ao longe e olhavam, mas a película dificultava ver dentro. Dei o celular para o macho, levantei a saia e abri bem a bunda, deixando exposto para ele minha buceta, pequena e apertada e meu ânus rosado, já estufadinho e piscando. O macho logo vem cheirar meu cuzinho, enquanto sua língua saboreia minha buceta minúscula. Abro bem o cu e peço para ele enfiar a língua lá no fundo mesmo, para sentir o gostinho de dentro de meu ânus. Todos adoram muito. Depois ele coloca o pau para fora. a posição não era boa, mas a vontade de comer uma casada era maior. Ele se ajeita por trás de mim e coloca na minha bucetinha apertada. O pau era grosso e foi difícil entrar, arrombando ela. Começa a socar gostoso e já gozei gritando dentro do carro. Mas ele tira e diz que quer é CU. Encosta o pau e começa a enfiar. Que dor do caralho! fui gemendo, suando frio e sentindo o pau abrindo meu anel de couro ao máximo, até que a cabeça da pica rompe o caminho e o filho da puta atola a porra toda logo de uma vez. E que caralho comprido. PORRA! Com tudo enfiado, ele começa a meter gostoso e já gozo de novo, sentindo o rolo de nervos quente entrando e saindo rapidamente de meu reto, me fazendo peidar dentro do carro, até que ele goza muito, urrando e segurando o pau lá dentro, vomitando jatos e jatos de esperma quente. Sou uma vagabunda vadia mesmo, não sou? Estou escrevendo agora, ainda com o cu ardendo, perto do corno, que está com o dedo nele, sentindo ele aberto, quente e ainda vazando esperma do macho. Bom, meu e-mail está à disposição de todos. Não percam mais contos que colocarei em breve. Soninha e Amadeu corno.

Veja abaixo outros contos eróticos de corno:

Meu fetiche é ver minha esposa mamando outro

Eu e meu marido ajudamos o menino virgem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.