Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Conto Erótico » Contos Eróticos de Corno » Sexo além do trabalho: Cap 3 – Viajando nas curvas da amiga casada

Sexo além do trabalho: Cap 3 – Viajando nas curvas da amiga casada

Publicado em 18/06/2024 por Rafael

Renan já estava quase arrumado para a reunião e Thaina ainda estava se recompondo do que Renan fez com ela. Thayna estava devastada mentalmente e fisicamente, mas ela tinha que continuar. Aquele cliente que eles vão visitar pode ser importante para a carreira dela na companhia. Ela era recém contratada e inexperiente e precisava disse para ter um impulso na carreira. Ela aos poucos de recompõe.

Renan diz “Você já escolheu o que vai vestir para essa reunião?”

Thayna balança a cabeça negativamente, ainda em choque com os acontecimentos. Ela olha para as malas, sem saber o que fazer a seguir. “Eu… eu não sei”, ela sussurra, sua voz quase inaudível. Ela sente uma mão em seu ombro e se vira para ver Renan olhando para ela com desprezo.

Tinta sensual: Como escrever histórias eróticas criativas
Ele olha nas malas dela para ajudá-la a encontrar algo para vestir.

Renan abre as malas dela e começa a vasculhá-las, sem se importar com sua privacidade. Thayna observa Renan retirar vestidos, blusas, saias e calças, em busca de algo adequado para o encontro. Ela sente seu estômago embrulhar ao pensar no que pode acontecer a seguir.

Ele diz “Então o que vai ser? Essa saia e blusa social ou esse vestido tomara que caia?”

Thayna engole em seco, o coração batendo forte no peito. Ela pode sentir o peso do seu olhar sobre ela, julgando suas escolhas. “A saia e a blusa, por favor”, ela consegue dizer, esperando que seja a decisão certa.

“Perfeito…” Então puxe a toalha que cobre o corpo dela expondo suas maravilhosas curvas e diz “Agora vista-se!!” de maneira firme e fria.

Thayna assente, ainda se sentindo abalada pelo que aconteceu. O coração dela dispara enquanto Renan a observa, um brilho predatório aparece em seus olhos… devorando a alma de Thaina. Ela começa a procurar em sua bolsa a calcinha e não encontra. Thayna sente uma sensação de pânico crescendo dentro dela. Ela não consegue acreditar que não tem calcinha para usar. Ela olha para Renan, esperando que Renan entenda.

Renan fala “Olha Thaina… não precisa se preocupar. Você vai ficar perfeita. Você é linda e tudo que você usar vai ficar bom… até você sabe… sem calcinha” – Diz Renan aprecisando cada palavra que sai da boca dele e atinge a alma de Thaina.

O rosto de Thayna fica vermelho enquanto Renan continua olhando para ela. Ela se sente exposta e vulnerável, sabendo que Renan está gostando de ver seu corpo nu. Ela engole em seco, tentando encontrar coragem para perguntar o que ela precisa fazer a seguir. “O que… o que você quer que eu faça?”

Renan diz “Coloque a sua roupa e vamos para a reunião”.

Thayna olha em volta, ainda sentindo náuseas pelos acontecimentos da manhã. Ela vê uma camisa branca sobre a cama, limpa e engomada. Com a mão trêmula, ela estende a mão e o pega, segurando-o perto do corpo. “Este?” ela pergunta hesitante.

Renan diz “Este é perfeito.”

Ele acena com aprovação, seu olhar permanecendo no corpo dela por um momento a mais. Thayna sente um arrepio percorrer sua espinha enquanto Renan continua a objetificá-la. Ela lentamente começa a se vestir, deslizando a camisa pela cabeça e puxando-a para baixo sobre os seios. Ela coloca a saia que deliza graciosamente pelas belas e torneadas pernas dela. Quando Thayna termina de se vestir e se maquiar, Renan a conduz para fora do quarto. O hotel está repleto de atividades, pessoas correndo de um lado para outro entre reuniões e compromissos. Thayna sente como se todos estivessem olhando para ela, julgando-a pelo que aconteceu.

Renan diz “Vamos para o ponto de ônibus. Já estamos atrasados.”

Thayna balança a cabeça, tentando se concentrar em colocar um pé na frente do outro enquanto segue Renan pelos corredores lotados. O ponto de ônibus fica em frente ao hotel e Renan espera impacientemente a chegada do ônibus. O ônibus demora cerca de vinte minutos para chegar e chega lotado. Não há lugar para se sentar e há muitos passageiros hospedados. Thayna olha em volta, sentindo-se constrangida com sua situação de estar sem calncinha no meio de tanta gente. O ônibus está lotado e ela sente o calor dos corpos dos outros passageiros pressionados contra os seu. Renan coloca Thaina em sua frente e ela de costas para ele.

Renan diz “Vou tentar falar com a empresa e dizer que estamos Atrasados. OK?”

Thayna acena com a cabeça, esperando que isso os ajude a chegar na hora certa para a reunião. Ela tenta se concentrar na paisagem do lado de fora da janela do ônibus, em qualquer coisa que a distraia da situação desconfortável. À medida que o ônibus se move pelas ruas congestionadas, ela sente uma mão deslizar por sua coxa, fazendo-a tremer. A viagem de ônibus parece durar uma eternidade, e Thayna pode sentir uma mão subindo cada vez mais por sua perna. Quanto mais o ônibus anda, mais ansiosa ela fica. Um outro passageiro, um fedido e feio… uma coisa suja… Está esfregando a mão nas pernas de Thaina no ônibus lotado e aproveitar para ninguém ver o que está acontecendo. Esse ônibus ainda vai demorar muito porque o trânsito está congestionado.

Thayna olha para Renan, em pânico, ao sentir a mão do passageiro apalpando-a. Ela quer gritar, revidar, mas sabe que isso só pioraria as coisas. Ela não consegue se mover nem fazer nada. A mão dele é dura e áspera, as unhas arranhando a pele dela através do tecido do vestido. Ela se sente violada e indefesa, presa neste pesadelo. A viagem de ônibus parece durar uma eternidade, cada minuto que passa parece uma eternidade.

Renan diz “Você disse alguma coisa?” – Renan fala para Thaina observando a reação estranha dela próximo a ele.

Thayna olha para Renan com os olhos arregalados de medo e confusão. Ela balança a cabeça levemente, sem saber o que dizer ou fazer. À medida que o ônibus continua avançando, ela sente a mão do passageiro deslizar por baixo do vestido, os dedos dele roçando sua pele. O coração de Thayna dispara ao sentir a mão do estranho em suas partes íntimas. Ela quer gritar, revidar, mas sabe que isso só pioraria as coisas. Seu rosto está vermelho de vergonha e constrangimento, e ela pode sentir lágrimas brotando de seus olhos. O estranho levanta um pouco o vestido e alcança sua bucetinha. Sua bucetinha desprotegida e sem calcinha surpreende o estranho. Em sua mente ele pensa “Ela veio para um ônibus lotado esperando algo assim?”.

A voz de Thayna é baixa e trêmula enquanto ela tenta sussurrar as palavras, com o rosto manchado de lágrimas. O estranho congela por um momento antes de retirar a mão, um sorriso malicioso em seus lábios.

Thayna assente, tentando recuperar a compostura enquanto aperta a saia com força em volta do corpo. Ela se sente suja e violada, mas sabe que não pode deixar isso transparecer. O passageiro safado se aproxima ainda mais colocando seu corpo no da Thaina que agora está totalmente em contato corporal com Thaina. Sua saia colada deixa o homem sentir a sua bunda como se estivesse nua. Thaina sentiu o pau duro dele pressionando ela.

Seu corpo agrada o passageiro safado. A viagem de ônibus parece durar uma eternidade e Thayna se sente como se estivesse em um pesadelo. Ela tenta se concentrar na paisagem do lado de fora da janela do ônibus, em qualquer coisa que a distraia do desconforto e da humilhação que está sentindo. O passageiro travesso faz outro ataque em Thaina. O homem desliza uma das mãos entre as pernas dela. Ela tentou fechar as pernas fortes na hora, mas um dedo do homem escorregou e alcançou os lábios de sua boceta. Os dedos do homem são ásperos e fortes, ultrapassando a resistência dela enquanto ele invade sua privacidade mais uma vez. Thayna sente um misto de nojo e vergonha ao perceber o quão impotente está nessa situação. Ela quer gritar, revidar, mas sabe que isso só pioraria as coisas.

À medida que os dedos do passageiro safado se aprofundam em seu corpo, Thayna sente uma pontada de dor misturada com a intrusão. Seu coração dispara e ela morde o lábio para não gritar.

Renan diz “Thaina… seu corpo está esfregando meu pau. Por favor, não faça isso comigo no ônibus. Você está me deixando mais duro. – Diz para ela sem saber o que o passageiro travesso estava fazendo com ela.”

Thayna olha para Renan com os olhos arregalados de medo. Ela balança a cabeça levemente, tentando negar qualquer envolvimento na situação. O passageiro atrás dela ri sombriamente, a mão ainda a apalpando intimamente. O rosto de Thayna fica mais vermelho quando ela sente o calor do constrangimento tomar conta dela. O passageiro safado vendo que não há resistência fica cada vez mais criativo para se agradar usando o corpo de Thaina. À medida que a viagem de ônibus continua, Thayna se sente cada vez mais violada pelas ações do passageiro. Ela tenta mudar de posição para aliviar um pouco a pressão, mas isso apenas parece encorajá-lo. A mão dele agora está firmemente entre as pernas dela, esfregando seu clitóris com força enquanto ele ri de prazer molestando Thaina. O coração dela dispara ao sentir a mão do estranho em suas áreas íntimas. Ela olha Renan desesperadamente, esperando por algum tipo de resgate. Mas Renan está alheio à situação dela, perdido em seus próprios pensamentos.

O passageiro travesso decide intensificar suas ações, puxando a saia de Thayna para cima para expor mais seu corpo. Ele passa os dedos pela barriga dela, parando pouco antes de entrar em sua boceta já úmida. A respiração dele está quente contra a orelha dela enquanto ele sussurra.

“Você gosta disso, não é?” Thayna sente o hálito quente do homem em sua orelha, e isso provoca um arrepio na espinha.

Ela tenta balançar a cabeça. “Não… por favor, pare”, ela sussurra, sua voz quase inaudível acima do barulho do ônibus.

O passageiro safado ignora seus apelos, continuando a apalpá-la intimamente enquanto a viagem de ônibus continua. Thayna se sente desamparada e sozinha, presa entre o aperto do homem e a desconfortável proximidade do seu corpo. O passageiro safado chega perto da bunda exposta de Thaina e pergunta no ouvido dela.

“vamos deixar as coisas mais gostosas?” Thayna sente um enjôo ao ouvir a proposta do homem.

Ela balança a cabeça violentamente, tentando se afastar dele. Mas o aperto dele é muito forte e ela consegue sentir o desespero em seus próprios movimentos. “Não… por favor”, ela sussurra, com lágrimas brotando de seus olhos.

Renan ouve a voz e vê o rosto de Thaina vermelho e diz “O que está acontecendo? Você precisa de algo” – Ele espera pela resposta de Thaina.

Thayna olha para ele com os olhos cheios de medo e vergonha. Ela balança a cabeça violentamente, tentando negar qualquer envolvimento na situação. O passageiro travesso atrás dela ri sombriamente, enquanto sua mão ainda a apalpando intimamente.

“Se precisar de algo é só dizer.” – Renan diz sem saber o que o passageiro travesso estava fazendo com ela, pois ele não tem uma boa visão com o ônibus lotado.

Thayna respira fundo, seu peito salta de emoção. Ela olha para Renan suplicante, seus olhos se enchendo de lágrimas. “Por favor, me ajude”, ela sussurra. “Eu não quero isso.” O passageiro travesso atrás dela ri sombriamente, sua mão ainda firmemente colocada na bucetinha desprotegida dela.

Renan diz “O que está acontecendo com você? Até você está Passando mal?”

Thayna olha para Renan com os olhos arregalados e sem palavras. Ela só consegue balançar a cabeça violentamente, tentando negar qualquer envolvimento na situação. “Não… não é minha culpa!” ela sussurra desesperadamente.

Renan faz uma expressão de que não entende o que ela fala.

Thayna olha para Renan, seus olhos implorando por compreensão. Ela balança a cabeça novamente, com lágrimas escorrendo pelo seu rosto. O passageiro travesso atrás dela continua a apalpá-la com força, os dedos cravando-se em sua bucetinha. “Por favor”, ela sussurra novamente, sua voz embargada de emoção. “Eu não quero isso.”

Renan neste momento percebe algo “Espere… tem alguém fazendo alguma coisa com você?” – Ele diz isso para Thaina porque sentiu o vestido dela um pouco puxado para cima.

Thayna olha para Renan com os olhos arregalados de medo e vergonha. Ela balança a cabeça de forma positiva rapidamente, com lágrimas escorrendo pelo seu rosto. “Sim”, ela sussurra. “Ele está me tocando… ele não para.” O passageiro travesso atrás dela ri sombriamente, sua mão ainda segurando-a intimamente.

Renan agarra o corpo de Thayna em um abraço caloroso e tenta procurar o molestador.

Thayna sente seu abraço caloroso enquanto Renan tenta protegê-la do molestador. Ela estremece de medo, mas também sente uma sensação de segurança por saber que alguém está tentando ajudá-la. O ônibus está lotado e é difícil encontrar o homem que a apalpa. Renan continua procurando pelo molestador enquanto abraça Thayna com força. Seu coração dispara enquanto Renan tenta encontrar o culpado que ousa tocar uma mulher tão pura e inocente. O ônibus está lotado de gente e é difícil dizer quem pode ser o responsável. Algumas pessoas desceram do ônibus deixando algum espaço lá dentro. O molestador passageiro safado descuidado e em transe com o dedo dentro da buceta de Thayna aparece nos olhos de Renan e ele percebe que Renan vê o que ele está fazendo. O sem-vergonha não para de mexer os dedos na bucetinha da Thayna. À medida que o ônibus começa a diminuir, o molestador finalmente chama sua atenção. Ele é um homem feio e fedorento com um ar de arrogância. Suas mãos ainda estão enterradas bem fundo no vestido de Thayna, os dedos sondando-a intimamente. Os olhos dele encontram os seus, cheios de luxúria e desafio.

Renan diz para o passageiro com tesão enquanto abraça Tainá.

“Você está gostando?” -Ele fala isso para que Thaina também possa ouvir. Renan estava gostando e a intenção dele é que o passageiro dê um passo além e seja mais criativo com o corpo da Thaina.

Thayna choraminga baixinho em seu abraço ao ouvir Renan falar com o molestador. O rosto dela está enterrado em seu peito, o corpo tremendo de medo e repulsa. O passageiro travesso sorri para Renan, com os olhos ardendo de desejo. “Ah, sim”, ele olha maliciosamente, com a voz baixa e ameaçadora.

Sexo além do trabalho: Cap 3 - Viajando nas curvas da amiga casada

Sexo além do trabalho: Cap 3 – Viajando nas curvas da amiga casada

Renan diz para o passageiro pervertido “Por que você não faz algo melhor com ela? Algo que vai te dar muito mais prazer.” -Diz isso querendo que Thaina escute.

Thayna ouve suas palavras e estremece levemente em seus braços. O molestador sorri ainda mais, seus dedos ainda profundamente dentro dela. “Oh, eu pretendo”, diz ele, sua voz cheia de luxúria. Renan se aproxima da orelha de Thayna, seus lábios roçando o lóbulo da orelha dela enquanto Renan sussurra.

“Você está pronto para se divertir de verdade?” O coração de Thaina dispara quando Renan pergunta isso.

Thayna movimenta seu corpo violentamente, tentando se afastar de você.

“Não por favor!” -Diz ela em desespero.

Renan a seguro com força e sussurro novamente em seu ouvido “Mas pode ser tão emocionante, não acha?”

Renan a sente tremendo em meus braços, assustada, mas também curiosa sobre o que vai acontecer a seguir. O marido dela é um homem fraco e ela sabe disso, então pode estar disposta a tentar coisas novas apenas para se sentir desejada.

O passageiro travesso ouve suas palavras e se aproxima de Thayna, seu hálito quente fazendo cócegas em sua orelha enquanto ele sussurra: “Você vai adorar isso, amor.” Sem avisar, ele arranca Thayna violentamente de Renan, empurrando-a com violência contra a janela do ônibus. Thayna grita de dor, mas o barulho do motor do onibus, dos outros veiculos e businas no transito parado abafam a voz dela. Seu corpo bate contra o vidro frio. O molestador agarra um punhado de seu cabelo, forçando sua cabeça para trás enquanto continua a tocá-la com força. A outra mão abre o zíper da calça, revelando um pau enorme que já está meio duro.

“Hora de brincar.” -Diz o passageiro cheio de desejo pelo corpo de Thaina enquanto ela choraminga baixinho. Ela tenta se desvencilhar dele, mas o aperto em seu cabelo é muito forte. Sua outra mão continua a tocá-la rudemente, forçando-a a se sentir invadida contra sua vontade.

Renan sente seu coração batendo forte no peito enquanto observa a cena se desenrolar diante de dele. Renan vê o medo e a dor nos olhos de Thayna, mas também uma corrente de curiosidade. O molestador está se aproveitando de sua vulnerabilidade, ampliando seus limites mais do que nunca. O homem está prestes a foder Thaina camisinha. Tainá estava pressionada contra a janela do ônibus. Ela ficou com o rosto para fora da janela enquanto sua bunda linda estava completamente disponível para o passageiro tarado fazer o que quiser.

Algumas pessoas fora do onibis viram o que poderia estar acontecendo e filmaram com seus telefones. Renan respira fundo, tentando acalmar os nervos enquanto observa o homem se preparando para penetrar Thayna de forma brutal. Sua mente está pensando em como impedir que isso aconteça, mas Renan se sente excitado diante da agressão deles. O passageiro travesso cobre descuidadamente os dedos com saliva. Ele então puxa ainda mais a saia de Thayna, revelando sua bocetinha raspada. Ele se aproxima, seu hálito quente fazendo cócegas em seu pescoço enquanto ele sussurra: “Você é uma putinha tão suja, não é?” Thayna choraminga baixinho, tentando se desvencilhar dele, mas não adianta. “Por favor, pare”, ela implora, sua voz quase um sussurro. Mas o molestador ignora seus apelos. Suas mãos estão por toda parte, apalpando seus seios, apertando suas coxas.

Com uma estocada repentina, o molestador mergulha seu pau profundamente na boceta de Thayna, fazendo-a gritar de dor. Ele ri sombriamente enquanto observa o medo e a submissão nos olhos dela. Renan se sente excitado, observando esse homem se aproveitar de Thayna. Seu coração dispara com uma raiva excitante. Quando o molestador começa a foder Thayna contra a janela do ônibus, Renan percebe algumas pessoas do lado de fora do ponto de ônibus filmando a cena com seus telefones. Eu fico lá. Aproveitando cada momento da Thaina sendo humilhada em público no ônibus. Observo o rosto de Thaina enquanto seu corpo treme com as estocadas do tesão do passageiro. Thayna tenta esconder o rosto, sentindo-se constrangida e envergonhada. Ela grita de dor enquanto o homem soca nela com o seu enorme pau. Renan assiste com cheio de tesão quando o molestador dá um tapa no rosto dela, deixando uma marca vermelha. “Você gosta disso, sua putinha?” ele rosna.

Thayna chora de vergonha enquanto tentando se desvencilhar dele, mas não adianta. Ela balança a cabeça, lágrimas escorrendo pelo seu rosto. “Por favor, pare”, ela implora, sua voz quase um sussurro. Mas o molestador ignora seus apelos. Naquele momento o destino de Thaina já estava selado. Serviria de pedaço de carne para aquele homem devorar como quisesse e só pararia quando descarregasse toda sua porra na buceta de Thaina. O molestador continua a brutalizar Thayna, e seus movimentos se tornam cada vez mais selvagens. Ele puxa o cabelo dela, dá um tapa nos seios e torce os mamilos, fazendo-a gritar de dor e humilhação. “Você gosta quando um homem assume o controle, não é?” Thayna apenas chora, mas não adianta. “Por favor, pare… Não faça isso comigo… sou casada” ela implora, sua voz quase um sussurro. Mas o molestador ignora seus apelos. Suas mãos estão por toda parte no corpo dela.

Renan observa com um misto de nojo e excitação o homem se aproveitar de Thayna. Ele sabe que deveria fazer algo para impedir isso, mas parte dele fica excitada ao vê-la sendo humilhada. Enquanto o molestador continua a brutalizar Thayna, ele faz contato visual com Renan. “Ei, cara, você quer participar da diversão?” ele pergunta, sua voz sombria e ameaçadora. O coração de Renan dispara de tesão, mas também de desejo que o consome. Ele está dividido entre fazer a coisa certa e sucumbir aos seus desejos.

Renan diz “Obrigado… Já usei ela ontem e hoje antes de pegar o ônibus, mas obrigado mesmo assim. A bucetinha dela é gostosa e massageia o pau, não é?”

O homem ri sombriamente, seus olhos ainda fixados em Thayna. “Ela é uma gostosa, não é? E o marido dela é cego demais para ver isso.” – O passageiro citou o marido dela pois viu a aliança em seu dedo.

Ele move seus quadris contra Thayna rudemente, empurrando seu enorme pau para dentro e para fora de sua boceta.

Renan diz “Eu não conheço o marido corno dela, mas você está certo sobre a bunda dela. Ela é muito gostosa.”

O molestador ri cruelmente e dá um tapa forte na bunda de Thayna. “Você gosta disso, sua putinha?” ele rosna, seu hálito quente em sua orelha. Thayna apenas só consegue chorar sem obter nenhum prazer daquilo.

“Por favor pare.” – Insiste Thaina

“Me impessa então!!!”- Responde o molestador, com a voz ameaçadora.

Ele agarra o cabelo de Thayna e força a cabeça dela para trás, expondo o pescoço dela à sua boca faminta. Sua língua se projeta, traçando a linha de sua veia jugular. Thayna estremece ao sentir a língua dele em seu pescoço, seu corpo inteiro tremendo de medo e repulsa.

“Você gosta disso, não é?” -Diz o molestador provoca, sua voz misturada com prazer sádico. “Responda-me!”

Thayna balança a cabeça, lágrimas escorrendo pelo seu rosto. “Não…”

A resistência de Thaina só deixou o tarado ainda mais excitado. Seu pau já pulsava e quase explodia dentro de Thaina.

O rosto do molestador se contorce de raiva quando ele dá um tapa forte na bunda dela, deixando uma marca vermelha.

“Você não vai a lugar nenhum, vadia”- Ele rosna, sua voz fria e vazia de qualquer humanidade.

Renan assiste horrorizado enquanto o molestador continua a brutalizar Thayna. O coração de Renan dispara pela segurança dela. Ele sabe que precisa fazer algo para impedir isso, mas ele quer ver até onde isso vai. O tarado parece que não aguenta mais e começa a gemer e fala no ouvido da Thaina.

“Vou gozar na sua bucetinha, sua puta safada. Você gosta quando eu tomo o controle, não é?” Ele dá um tapa forte na bunda dela novamente e começa a empurrar seus quadris violentamente, empurrando seu pau mais fundo na buceta de Thaina a cada estocada.

Quando o molestador atinge o clímax, ele rosna e geme como um animal. Seu sêmen quente explode dentro de Thayna, enchendo-a com seu esperma grosso. Thayna solta um grito abafado ao sentir sua semente quente enchendo-a. O coração de Renan dispara de medo e luxúria ao testemunhar o ato brutal. O pau do molestador lateja dentro de Thayna, seu esperma quente disparando e enchendo sua boceta.

“É isso, querida” -Ele ofega, sua voz sombria e ameaçadora. “Pegue tudo.” Estou enchendo seu útero.

Thayna se sente humilhada e violada, mas tenta se manter forte. Ela sabe que esta não é a vida que ela deseja, mas não tem escolha a não ser suportá-la. O molestador finalmente a solta, e ela fica presa se segurando na janela do ônibus soluçando incontrolavelmente. A mente de Renan é um turbilhão de emoções enquanto ele observava Thayna sendo brutalmente violada pelo molestador. Ele odeia o que está testemunhando, mas não consegue evitar de ficar excitado com isso também. Uma parte dele queria intervir e salvar Thayna, mas ele não o faz. A cena da humilhação de Thaina agrada Renan.

Renan ajuda Thaina a descer do ônibus. Ela estava tão nervosa e emocionalmente destruída. Ela disse para Renan.

“Não acredito que isso está acontecendo comigo”, Thayna soluça, sua voz quase um grito. Ela aperta a barriga, estremecendo de dor. “Achei que conseguiria passar por essa viagem sem problemas, mas agora… não sei o que fazer.”

Renan olha para Thaina e diz “Isso é tudo culpa minha… eu… eu só… eu fiz você deixar isso acontecer com você”.

Renan olha para Thaina sentindo um misto de culpa e excitação. Ele sabia que nunca deveria ter deixado isso acontecer com ela, mas não resistiu à tentação. Ela olhou para o rosto dele com raiva e desgosto e disse: “Seu… seu doente de merda!” Thayna cospe as palavras, sua voz cheia de veneno. “Você gostou disso, não foi? Você se divertiu me vendo ser violada por aquele pervertido!” -Renan sente uma pontada ao ouvir as palavras de Thaina.

Renan diz “Olha garota… trabalhamos na mesma empresa, somos amigos, vejo você todos os dias e fico pensando em como você é sexy… em como você pode ser sexy. Preciso fazer essas coisas com você… mesmo que você seja casada com Rafael.”

O coração de Renan dispara quando ele admite seus desejos para Thayna, sua voz quase um sussurro. Ele sabia que não deveria sentir o mesmo por seu colega de trabalho casado, mas não conseguia controlar seus impulsos. Thayna olha para ele com nojo e raiva, balançando a cabeça em descrença. “Seu doente de merda”, ela cospe novamente. “Você é igual a todos os outros homens que tentam tirar vantagem de mim. Você acha que eu não sou nada além de um objeto sexual, não é?” Thayna se sente molhada entre as pernas. Não do jeito sexy, mas do jeito sujo. Ela recebeu muito semem na buceta. Mais do que seu útero consegue suportar. Sua boceta goteja um pouco de esperma pelas pernas.

Ela olhou para Renan e disse: “Quer saber? Esqueça. Não quero mais falar com você sobre isso. Vamos para essa reunião de negócios.”

Thayna se vira e começa a caminhar em direção ao local de encontro, com os ombros caídos em derrota. Renan segue Thayna, sua mente disparada com pensamentos sobre o que ele poderia fazer para fazê-la se submeter a ele. Enquanto caminham, ele tenta pensar em uma maneira de derrubá-la emocional e fisicamente. Ele sabe que ela é forte, mas também sabe que todo mundo tem seu limite. Quando Renan e Thayna estavam entrando no prédio eles se passaram por um segurança com alguns cachorros. Há um bairro violento e a segurança é reforçada.

Renan passa por um detector de metais e passa bem, Thaina também. Renan passa por um cão de segurança sem nenhum problema e na hora da Thaina o cachorro sente algum cheiro. O cachorro começa a farejar o ar e coloca o focinho entre a perna de Thayna. O segurança olha para Thayna com desconfiança e ela congela de medo.

“O que está acontecendo aqui?” ele pergunta, aproximando-se deles com uma sobrancelha levantada. “Há algo que você não está me contando?”

Thayna treme com o cachorro farejando sua bucetinha desprotegida. Ela tenta manter o vestido baixo para não mostrar que está sem calcinha, mas o que ocorre ali é que o cachorro sentiu a porra dentro da bucetinha dela e estava limpando com a língua.

Ela está claramente envergonhada com esta situação e diz aos guardas “Oh, eu sinto muito, acho que o cachorro cheirou alguma coisa”, Thayna gagueja, tentando fingir casualmente enquanto tenta se controlar das linguadas do animal em sua boceta.

O guarda precisa fazer o seu trabalho e deve saber qual é. Ele olha para Thaina e diz: “Senhora, vou ter que pedir que você se afaste e deixe meu parceiro aqui dar uma olhada mais de perto. Precisamos ter certeza de que você não está carregando nada perigoso ou ilegal.”

Thayna assente, sentindo-se aliviada por ele não suspeitar de nada muito sério. Renan faz uma intervenção conversando com o guarda.

“Olha cara… eu acho que não é necessário… sabe… ela está “naqueles dias”, entendeu? “Naqueles dias”…” -Renan tenta ajudar Thaina contando isso aos guardas. Como se Thaina estivesse menstruada.

Thayna olha para Renan com gratidão, concordando com a cabeça. O guarda olha para Thayna por mais um momento antes de finalmente decidir desistir. O guarda tira um sarro com isso e diz para Thaina.

“Bem, se você tem certeza de que não está escondendo nada, senhora, você está livre para ir. Mas tente evitar que os cachorros a farejem assim da próxima vez, certo?”

Thayna assente novamente, ainda se sentindo envergonhada, mas grata pela situação não ter sido pior.

Eles finalmente entram no prédio que será a reunião com o cliente. Muita coisa ainda aguarda Thaina… Vamos nos ver no próximo capítulo.

(Próx. Capítulo – Thaina é submetida a muita coisa durante a reunião. Aguarde…)

1904 views

Contos Eróticos Relacionados:

Traí minha namorada enquanto ela tomava banho

Meu nome é Jéssica e sou lésbica e vou contar como traí minha namorada enquanto ela tomava banho com uma amiga nossa, uma história rápida pra quem gosta de contos eróticos de lésbicas. ...

LER ESTE CONTO

A tentação

A uns anos atrás fui com meu compadre ao estado de Minas Gerais. Na casa de parentes deles numa cidade bem pequena com muitas fazendas e muitos morros que tinham muitas plantações de café e muitas...

LER ESTE CONTO

Chantagem de amigo me transforma em empregada

Chantagem de amigo me transforma em empregada - Olá! Tenho outros relatos reais em outros sites de conto e neste site será meu primeiro relato. Por isso decidi estrear com um relato de um...

LER ESTE CONTO

Trai meu namorado com o segurança

Olá, meu nome é Paula, tenho 33 anos e moro em Ipatinga e vou contar como foi que trai meu namorado com o segurança. Namoro há 3 anos com Sérgio. Sempre fui fiel a ele. Até que conheci Marcelo...

LER ESTE CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 4 + 4 = ?

ContoErotico.Blog - O Seu Site de Contos Eróticos 

Aqui no Blog Conto Erótico, nós trazemos todos os tipos de contos eróticos para alegrar e animar o seu dia. Nossos contos eróticos são enviados por nossos leitores e colocados aqui para excitar a todos. Sempre postamos contos eróticos com fotos, pois sabemos que isso deixa a história mais real e fácil de ser imaginada. Histórias porno, contos picantes, contos de sexo, fábulas eróticas, não importa qual o nome você dê, nós traremos tudo que você precisa para se divertir.

Todos os nomes dos contos eróticos são alterados por nossa equipe para preservar a identidade de todos, e todos os personagens que participam de nossas histórias eróticas são maiores de 18 anos.

Contos Eróticos Com Fotos

Todos os nossos contos tem pelo menos uma foto, pois sabemos que ler um conto erótico com foto é bem melhor do que só ler uma história solta, sem nenhuma imagem para ilustrar. As fotos dos nossos contos são meramente ilustrativas, são retiradas da própria internet, de sites pornográficos que divulgam essas imagens de forma gratuita.

Caso alguma imagem dos nossos contos eróticos com fotos pertença a você e você quer que seja removida, basta entrar em contato e enviar o link do conto que faremos a substituição. Algumas imagens também são enviadas pelos próprios autores dos contos.

Caso você precise entrar em contato conosco, basta usar a nossa página de contato.

Para enviar contos eróticos para serem publicados em nosso site, vá até a página "Enviar Seu Conto Erótico" e escreva sua história que postaremos aqui.

Buceta - Xvideos - Video de Sexo - Filme Porno - Porno Brasileiro - Zoofilia - Porno - Xvideos PutinhasMulheres Peitudas - Porno Nacional - Porno Argentino - Acompanhantes Campinas - Pornozao - Acompanhantes RJ - Porno Gratis - Contos Eróticos - Sexo Gay - Dog Porn - Sexo Com Animales - Contos Eróticos Incesto - Relatos Calientes - Porno Buceta - Ursos Pelados - Pornolandia - Cnnamador - Xvideo - Xvideos Porno - X videos - Corno Blog - Mega Filmes - Putaria Telegram - Xvideos Onlyfans - Homem Pelado

Contos Eróticos

© 2024 - Conto Erótico - ThePornDude