Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]

Amor ao mar

Publicado em 03/08/2023 por Dimitri Petrova

Ruan olhou para o horizonte. O azul estava em cima assim como em baixo. O tempo estava agradável, sol nem muito forte nem muito fraco. Ele gostava de navegar com a lancha da família. Era um prazer recente que descobrira. Ele olhou para os lados, vendo somente o mar, nada além, e olhando para frente, via-se uma montanha, de largura media, porém extremamente alta. Um obstáculo facilmente contornável. Ao olhar para frente, também viu seu primo, pilotando a lancha.

Pedro era gostoso. A pele dourada sobre o sol, corpo forte, peludo. Era maior que Ruan, medindo cerca de uns 1,92. Seu corpo era todo proporcional ao seu tamanho, devido a academia que frequentava regulamente.

Ruan analisava seu primo, o interesse aumentando. Ele percorreu com os olhos aquelas costas, descendo a visao até a sunga vermelha. A bunda de Pedro era fantástica. Dura, empinada e arrebitada. Ele já olhará para o volume, secando aquela mala pesada e a cabeça desenhada na fina estampa da sunga.

Ruan não planejara isso, mas seu pau começou a dar sinais de vida. Vendo a bunda do seu primo, gay assumido. Ruan era bi, mas ainda não contará a ninguém da família. Imaginou se Pedro gostava de liberar aquela bunda linda ou se era do tipo que preferência comer. Seu pau latejou, ficando duro.

Pedro se virou, apontando para a grande montanha a frente.

– Vamos que ter contornar pela direita. A esquerda é famosa por ter pedras escondidas no nível da água – ele disse, mas sua atenção foi capturada pelo volume na sunga do primo.

Pedro observou atentamente. Não sabia se estava imaginado. Ruan, um garanhao negro de 1,86, forte e de corpo definido estava excitado, olhando para ele. A sunga era branca, destacando naquele corpo negro como a noite. Pedro notou que a rola de ruan estava dura, apontada para o lado esquerdo. Era um pau grosso. Sua boca salivou, embora estivesse com medo do tamanho real daquela vara.

– O que está olhando? – perguntou Ruan, dando um sorriso.

– Nada… Nada não – disse Pedro, envergonhado.

– Foi mal. Estava pensando numa garota que conheci- disse Ruan, alisando o volume. Aquela rola deu uma pulsada. Ele notou que o volume na sunga de Pedro também crescerá, embora ele imaginara que seria maior.

– Tudo bem. Mas que tamanho. As meninas devem sofrer com isso – brincou Pedro.

– As vezes. Se importa de eu me aliviar? Só está nos dois aqui mesmo – disse Ruan, se sentando no pequeno assento no fim da lancha.

– Na.. Tudo bem, tá… Tranquilo – gaguejou Pedro.

Ruan deu um sorriso e se ajeitou na cadeira. Ele lentamente abaixou a sunga branca, revelando pentelhos bem aparados, e logo após um imenso pênis de 23cm apareceu. Era grosso, com veias grossas por toda sua extensão. A cabeça parecia um cogumelo inchado, roxo. Ele cuspiu na mão direita, e passou pela cabeça do pau, alisando. Desceu por toda a sua extensão e depois subiu novamente.

– Caralho que delícia. Tava precisando disso… Hummm – ele gemia, de olhos fechados, brincando com a rola e massageando as bolas.

Pedro ficou excitado. Seu pau endureceu vendo aquela tora do primo na sua frente. Sua boca salivava. Já imaginara dando para o primo, mas não sabia que ele tinha um pau daquele tamanho. Seria difícil aguentar. Ele estava curioso para ver as bolas do primo. Para lamber e sentir o gosto. Ele começou a alisar o volume em sua sunga também. Notou que seu pau, que era extremamente babão, já havia molhado a parte da frente da sua sunga .

– Que delícia velho, queria era aquela boquinha dela aqui…. Hummmm – gemia Ruan e então ele abriu os olhos, vendo o primo lhe observando. Notou o volume molhado na frente da sunga do primo – que isso primo? Mijou na sunga?

– Meu pau é babao. É isso – respondeu Pedro, enfiando a mão na sunga e depois ao retirar mostrar os dedos sujos e pegajosos de babá.

– Tira a sunga então pra não molhar. Bate uma com seu primo – Disse Ruan, com um sorriso.

Pedro timidamente sentou ao lado de Ruan e abaixou a sunga, revelando um pau médio, de uns 16cm, extremamente peludo, assim como seu peito e barriga. Ruan notou que pau do primo não era circuncidado, onde não podia ver a cabeça da rola dele.

Pedro começou a se masturbar, mas observando a rola do primo. Sentia um tesão enorme, vendo a baba do primo por todo o pau. Ruan gemia de olhos fechados, massageando e brincando com as bolas, ainda escondidas dentro da sunga. Pedro imaginou duas bolas de boliche ali dentro.

– Da uma chupada se quiser – ofereceu Ruan.

Pedro não se fez de bobo e se inclinou, engolindo a rola do primo. Era salgada, deliciosa. Ele chupava, engolia, mas não conseguia chegar nem na metade devido ao tamanho da pica.

– Isso gostoso, mama. Engole tudo vai – dizia ruan, alisando os cabelos curtos e negros de Pedro. A boca de Pedro era uma delícia, deslizando pela sua rola, engolindo. Ele queria mais.

– Que bitela de rola. Que delícia hummm – gemia Pedro, chupando e engolindo a pica do primo.

Ruan forçava a cabeça de Pedro para baixo, mas ele não conseguia engolir aquela tora. Ele começou a brincar com a cabeça grande, passando a língua por ela, enfiando a língua no buraquinho da pica.

– Isso caralho, mama tudo. Tu mama melhor que essas mulher que eu fico mano – gemia ruan.

Pedro deslisava a boca pela rola, e foi descendo, tentando retirar a sunga do primo. No início ele não deixava mas depois permitiu, baixando a sunga na altura dos joelhos. E Pedro entendeu motivo.

Ruan tinha um pau gigante, gostoso, veiudo. Mas suas bolas eram extremamente pequenas, um saquinho minúsculo. Mas Pedro não achou aquilo ruim e meteu a boca naquele saquinho, engolindo aquelas bolinhas pequenas. Ruan gemia de prazer, enquanto suas duas bolas eram engolidas, ele batia uma punheta. Seu pau babava.

Ruan colocou a perna na beirada da lancha, e a outra na outra beirada para facilitar do primo engolir suas bolas. Pedro enlouqueceu, chupando as bolas, passando a língua, subindo e engolindo aquele cacete. Até que criou coragem e desceu com a língua, no buraquinho preto do primo.

Pedro passava a língua com força, penetrando aquele buraco quente e virgem do primo. Nunca imaginara que aquela situação pudesse ocorrer, mas estava amando.

– Isso caralho, fode meu cu com essa língua Vey – dizia ruan rebolando na língua de Pedro.

– Cuzinho gostoso em primo, é virgem essa porra? – disse pedro, chupando o cu do primo. Ele tentou colocar um dedo, mas o cuzinho era apertado.

Amor ao mar

Amor ao mar

– É sim. Nunca dei fera. Deita ai – disse Ruan, empurrando Pedro para o chão da lancha.

Ruan tirou o restante da cueca de Pedro, vendo aquele pau babão, moreno, a cabeça coberta pela pele. Ele tinha um saco grande e peludo. Ruan se agachou e engoliu a rola do primo.

– Isso mano, haaaa que delícia de boquinha – gemeu Pedro.

Ruan engolia toda a vara do primo, afinal era médio, fácil de engolir. Ele passou a língua por toda a sua extensão, chupando o pau, e descendo para aquela enormes bolas, tão diferentes da sua. Ele lambeu tudo e voltou para o pau, onde introduziu a língua pela glande do primo, sentindo gosto forte de urina entre a pele que cobria a glande.

– Teu pau é bico de chaleira né – Disse Ruan, tirando o pau da boca.

– Sim. Agora continua mamando – disse pedro, fazendo Ruan chupar sua rola novamente.

Ruan engolia aquele pau com gosto, lambendo tudo. Então ele pegou as pernas do primo e as levantou, revelando um cu peludo, piscando.

– Que delícia de cu, pisca pra mim vai – disse Ruan brincando com o dedo.

Pedro delirava de tesão. O dedo longo e grosso do primo rodeava seu anel. Ele passou a baba do pau no cu, e ai sim Ruan conseguiu introduzir o dedo até a metade. Era uma sensação deliciosa, mas ele ficou com medo de sujar o primo. Deu graças a deus que não aconteceu.

– delícia de cuzinho, pisca pra mim vai – disse Ruan novamente, introduzindo segundo dedo.

– Que delicia, não para vai, humm… – gemia Pedro.

Ruan tirou o dedo e enfiou a língua no cuzinho do primo. Estava mais larguinho, a língua entrando mais fundo. Ele tremia de tesão, esquecendo de todo o resto.

– Vou comer esse cuzinho – gemeu Ruan. Ele se posicionou em frente ao primo, levantando sua perna e colocando ela em seu ombro.

– Tá louco, com essa rola imensa – disse Pedro, se masturbando. Ele passou mais baba de seu pau no cu e no pau de Ruan.

– Vou com calma.

Ruan começou e enfiar aquela jeba enorme dentro de Pedro. Cada centímetro ia sumindo dentro daquele cuzinho guloso.

– Caralho essa porra não acaba… hummm- gemia pedro

– Relaxa, já tá quase – Disse Ruan penetrando o rapaz.

Pedro começou a rebolar, aquela pica enorme dentro de si. Ele se acostumou e Ruan começou a bombar com força, o barulho estralando.

– Isso fode meu cu vai… Hummm… Caralho… Que delícia – gemia Pedro.

– Que cuzinho gostoso, rebola para mim vai putinha – dizia ruan, socando com força e ritmo.

– Isso vai, acaba com meu cuzinho… Aiiii delícia… Hummm – gemia Pedro. Ele sentia aquela pica dura batendo fundo dentro de si. Seu primo era delicioso, se arrependeu do tempo perdido e prometeu a si mesmo que iria rebolar naquela jeba todos os dias que pudesse.

Ruan aumentou as estocadas, e se inclinou, beijando o primo. O gosto de sua boca era doce, gostoso. Ele chupou a língua do primo, passando a mão em seu peito peludo. Era delicioso.

– Caralho… Hummm… Isso me fode vai – dizia Pedro, rebolando.

– Vou gozar caralho – disse Ruan.

– Também quero – Disse pedro, mas Ruan segurou sua mão.

– Ainda não – ele disse – vou gozar caralho haaaaa… Que delícia… Haaaa

Ruan bombou rapidamente e com força, sentindo o cu do primo se alargando. Pedro por sua vez, sentiu o pau do primo inchar e entao se sentiu preenchido, a porra quente dentro de si. Ruan então retirou o pau e se agachou, lambendo o cu de Pedro.

– Bota pra fora minha porra vai – gemeu Ruan, chupando cuzinho de Pedro. Pedro fez força e sentiu aquele líquido quente e viscoso saindo de seu cu. Ruan lambia tudo, sugando a porra. Ele então se inclinou e beijou Pedro, que sentiu gosto da porra do primo no beijo.

– Minha vez – disse Ruan.

Pegou o pau do primo, chupou mais um pouco, a baba saindo em excesso do pênis de Pedro. Ele pegou a baba e passou em seu cuzinho. E então de costas para o primo, foi sentando na rola.

– Caralho que cu gostoso primo – gemeu Pedro, enquanto Ruan sentava em sua rola.

Ruan parou para se acostumar com a rola do primo dentro de si. Era a primeira vez que dava, era doloroso mas gostoso. Ele começou a subir e descer, lentamente, se acostumando. O pau do primo pulsava dentro de si.

– Caralho primo, que rola é essa, hummmm… Delicia… – gemia Ruan.

– Você é delicioso primo – respondeu Pedro, começando a bombar.

Pedro então aumentou o ritmo, barulho do atrito da pele com pele aumentando. Seus pelos já estavam molhados de suor, ele sentia mais porra saindo do cuzinho. O cu do primo era tão gostoso quanto sua rola. Ele achava que estava apaixonado já.

– Isso vai hummmm… Que delícia – disse Ruan, sentando com mais força e rápido. Ele queria que o primo o enchesse com sua porra. Imaginou se o primo aceitaria lamber seu cu gozado, seu pau meio bomba, deu uma pulsada.

– Delícia, vai quica primo. Isso seu gostoso. Tô quase gozando – gemeu Pedro.

Ruan se apoiou no chão da lanche e começou a quicar mais rápido, e mais fundo. Sentia o pau do primo pulsando dentro de si.

– Vó gozar caralho, haaaaaa… Isso…. Delicia mano – disse Pedro dando uma forte estocada.

Ruan sentiu a porra do primo o invadindo. Era em grande quantidade, mais que ele próprio havia gozado.

– Haaa delícia velho – gemeu Ruan.

Pedro ficou caído, de olhos fechados. Ruan lentamente levantou a bunda, o pau do primo saindo. Ele fez força, a porra começou a sair do seu cuzinho. Ele passou a mão, pegando um pouco da porra e passando em sua boca. Gosto delicioso da porra do seu primo.

Ruan se virou, sorrindo para o primo que ainda estava de olhos fechados, curtindo a gozada. Mas então seus olhos olharam para a frente, em tempo de ver a montanha tão perto que ele poderia chegar nela com um pulo. Ruan deu um berro, Pedro levantou assustado olhando para a montanha, correndo para o leme para poder desviar. Mas era tarde demais.

A lancha da família Arantes bateu na montanha, explodindo, fazendo voar pedaços de madeira, metal e restos dos dois primos para todos os lados. A explosão foi tão grande e devido a fragilidade da montanha, metade do lado direito dela desabou, gigantes pedras caindo e afundando no mar.

Leia meu livro no Wattpad com este conto e mais – Sexo e morte: contos eróticos com finais tragicos

751 views

Contos Eróticos Relacionados:

Foi de repente que aconteceu com minha irmã

Foi de repente que aconteceu com minha irmã e foi bom demais, espero que gostem desse relato erótico de incesto real. Era noite chuvosa, quando come vou a cair uma chuva mto forte, e minha meia...

LER ESTE CONTO

O Ap do Rick

O Ap do Rick - Fui ao colégio onde eu fiz o ensino médio buscar o meu diploma e encontrei o Rick azarando umas meninas. Fazia algum tempo que eu não o via, pois ele se mudou do nosso bairro. Nessa...

LER ESTE CONTO

Incesto lésbico com minha priminha virgem

...Ela obedeceu, tirando a calcinha e a blusa. Que corpo perfeito, seios médios e durinhos, mamilos rosados, pele lisinha, bunda redondinha e a buceta nem se fala. Se eu não estivesse tão excitada, ficaria com inveja. – Agora sente no sofá e abra bem as pernas.

VER

Traindo meu marido com dois

Olá pessoal, no conto erótico de hoje, vou contar como acabei traindo meu marido com dois machos gostosos. Meu nome é Érica e estou casada há 10 anos, mas o meu marido é do exército e passa...

LER ESTE CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 3 + 2 = ?

ContoErotico.Blog - O Seu Site de Contos Eróticos 

Aqui no Blog Conto Erótico, nós trazemos todos os tipos de contos eróticos para alegrar e animar o seu dia. Nossos contos eróticos são enviados por nossos leitores e colocados aqui para excitar a todos. Sempre postamos contos eróticos com fotos, pois sabemos que isso deixa a história mais real e fácil de ser imaginada. Histórias porno, contos picantes, contos de sexo, fábulas eróticas, não importa qual o nome você dê, nós traremos tudo que você precisa para se divertir.

Todos os nomes dos contos eróticos são alterados por nossa equipe para preservar a identidade de todos, e todos os personagens que participam de nossas histórias eróticas são maiores de 18 anos.

Contos Eróticos Com Fotos

Todos os nossos contos tem pelo menos uma foto, pois sabemos que ler um conto erótico com foto é bem melhor do que só ler uma história solta, sem nenhuma imagem para ilustrar. As fotos dos nossos contos são meramente ilustrativas, são retiradas da própria internet, de sites pornográficos que divulgam essas imagens de forma gratuita.

Caso alguma imagem dos nossos contos eróticos com fotos pertença a você e você quer que seja removida, basta entrar em contato e enviar o link do conto que faremos a substituição. Algumas imagens também são enviadas pelos próprios autores dos contos.

Caso você precise entrar em contato conosco, basta usar a nossa página de contato.

Para enviar contos eróticos para serem publicados em nosso site, vá até a página "Enviar Seu Conto Erótico" e escreva sua história que postaremos aqui.

Buceta - Xvideos - Video de Sexo - Filme Porno - Porno Brasileiro - Bucetas - Zoofilia - Porno - Xvideos PutinhasMulheres Peitudas - Porno Nacional - Porno Español - Acompanhantes Campinas - Pornozao - Acompanhantes RJ - XXX - Porno Gratis - Contos Eróticos - Sexo Gay - Dog Porn - Sexo Com Animales - Contos Eróticos Incesto - Relatos Calientes - Porno Buceta - Ursos Pelados - Pornolandia - Cnnamador - Xvideo - Xvideos Porno - X videos - Corno Blog - Pornô - Xvideos Pornos - Mega Filmes - Putaria Telegram - Xvideos Onlyfans

Contos Eróticos

© 2024 - Conto Erótico - ThePornDude