Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]

O Olhar

Publicado em 20/02/2024 por Paulo Antonio

Após uma divertida noitada, eu e Rejane fomos para um motel. Rejane estava sem sutiã, e toda vez que íamos àquele motel, o jovem da portaria dirigia um olhar de cobiça para o seio de minha namorada, que propositadamente deixava parte à mostra.  Pedi-lhe que abrisse dois botões, para que o jovem pudesse apreciar seu peito. Ela desabotoou a blusa e permaneceu de uma maneira, como se não tivesse se dado conta, de que o seio direito estava à mostra. Ao estacionar o veículo ao lado da cabine, pedi uma suíte e notei o olhar furtivo e de desejo que o funcionário dirigiu a Rejane. Ao entregar a chave, esse olhar se transformou num olhar vidrado, luxurioso, de quem havia descoberto o que a abertura da blusa lhe revelava. Rejane lançou um olhar de luxúria para aquele homem que não se preocupava em disfarçar seu encanto e desejo. Mirava sem nenhum recato, sem se preocupar em ser discreto, observando o seio médio, firme e branco. Rejane sentiu seu meio umedecer e quando arranquei o veículo, enfiou a mão em seu meio sob calça jeans, e começou a se acarinhar. Ela remexeu-se lentamente, como querendo se ajeitar, facilitar o contato daquela mão que lhe acariciava com firmeza. Gemeu, mordeu os lábios, chupou meu dedo, pedindo-me que apurasse para chegarem logo ao quarto, não aguentava mais de tanto tesão, e me beijou e depois, me mordeu carinhosamente o músculo do braço.

Ansiosa, praticamente me despiu, louca para ter o membro entre seus lábios. Sua língua envolvia a glande, dando voltas em toda a cabeça vermelha. Engoliu o cacete até o talo, depois, deslizou-o para fora e para dentro, tornando-o cada vez mais pulsante e lambuzado por sua saliva. Sugava com uma voracidade intensa, sempre, com a lembrança do olhar daquele homem para o seu seio. Mordia com delicadeza os testículos e voltava a lamber toda a extensão do falo brilhoso e babado, dando beijos estalados em sua glande inchada.

Após o sessenta nove, pedi que ela ficasse de quatro. Ela ficou de quatro, com o rosto grudado ao colchão e as ancas empinadas. Postei-me ajoelhado atrás da parceira, busquei apoio em seu quadril e a penetrei, excitado por saber que esta era uma de suas posições preferidas e pelos pensamentos que a possuíam em relação ao jovem da portaria.

Iniciei com estocadas lentas e compassadas, procurando ir com calma, cada vez mais fundo, excitando-me com as costas perfeitas e os braços magros estendidos sobre o leito, sempre indagando Rejane sobre o olhar do porteiro.

-Você viu a maneira como ele olhou para o teu seio?

-Vi.

-Te excitou?

-Muito – respondia de boca aberta, gemendo um som alongado, contínuo, deliciando-se com a penetração, remexendo levemente os quadris, mirando a parede como se ela fosse uma tela de cinema, que exibisse o porteiro a observar seu seio.

-Você ficou molhadinha?

-Fiquei.

Sussurrei palavras obscenas e aumentei o ritmo das enterradas. Tornei a falar:

-Agora, ele deve estar batendo uma punheta, pensando em ti.

-Que tesão! – sussurrou imaginando a cena.

– Deve estar pensando que está comendo tua boceta ou então essa bunda gostosa que tu tens. Te dá tesão?

-Me dá. Me dá muito tesão. Me come. Enfia bem no fundo, com força.

Minha mão deslizava pela pele suave de Rejane. Percorria todo seu corpo arrepiado e quente, buscava o seio e o espremia com vigor, mas sem brutalidade. A mesma mão procurou o pescoço, apertando-o com firmeza, prensando a cabeça de Rejane à cama:

-Ai que tesão essa tua mão no meu pescoço. Aperta mais!

Rejane excitava-se com a mão agarrando seu pescoço e a chumbando contra o colchão, enquanto, ela sentia cada estocada vir mais desejosa e profunda. Depois, enrolei seus cabelos em meu pulso e comecei puxa-la em minha direção, fazendo seu pescoço arquear, e à medida em que o ritmo de minhas investidas ia se tornando mais intensas,  proporcionava-lhe enterradas cada vez mais alucinantes, que a levavam a um delicioso delírio. Gritava e a seguir começou a urrar a cada nova lancinante penetração.

Suas pernas dobradas eram jogadas para frente e para trás com energia e ela completamente transtornada berrava:

-Mais! Mais! -deliciava-se com o membro que deslizava por suas entranhas molhadas e quentes, numa invasão, que há cada golpe era mais viril e prazerosa, e ela clamava por mais, excitada pela lembrança do funcionário da portaria se masturbando, o membro duro envolto por sua mão máscula, numa frenética manipulação desejosa de seu corpo.

Ofegante, perguntava à minha namorada:

-Te excita saber que o cara está lá na cabina batendo uma punheta pesando em ti?

-Me excita – respondeu em meio a gemidos.

-Te excita saber que ele está com o caralho duro na mão, louco pra enfiar nessa tua boceta gostosa?

-Me excita!

O Olhar

O Olhar

-Que ele está louco para comer essa tua bunda?

-Ai que tesão, me excita!

-Tu queres que ele venha aqui?

-Quero!

-Tu queres que ele te coma?

-Quero! Quero! Quero que ele me coma bem gostoso. – gritava ofegante, tendo o pescoço e o corpo arqueados pelo meu ímpeto, que há cada nova penetração puxava seus cabelos com vigor.

-Tu queres que eu chame ele?

-Chama! Chama!

-Tu vai gostar de dar para ele?

-Vou!

-Tu vais deixar ele fazer o que quiser?

-Vou!

-Tu vais deixar ele comer tua bunda?

-Vou dar tudo para ele! Vou pedir para enfiar bem fundo aquele pau gostoso que ele tem na mão, batendo uma punheta para mim!

-Vai chupar o pau dele, sua vadia?

-Vou! Me chama de ordinária, de puta!

-Puta! Ordinária! Gostosa!

Rejane delirava, gemia alto. Esbaforida, gritava palavras obscenas e frases sem nexo. Jogava seu corpo de encontro ao cacete lancinante, na ânsia de que ele a penetrasse mais fundo. Soltei seus cabelos úmidos que encobriram sua face e balançavam ao ritmo dos prazerosos golpes. Agora, eu a agarrava pelas ancas, procurando uma maneira de golpeá-la com mais vigor, excitado por suas respostas.

-Eu posso ver?

-Eu quero que tu vejas e depois tu me comas. Eu quero dar para ele e depois para ti! Ai que tesão!

-Ele está lá sozinho de pau bem durinho só pensando em ti, nesses peitos gostosos, nessa bunda que me dá um tesão louco.

-Ai, chama ele, chama ele! Por favor! Pede para ele vir me comer! – clamava gemendo, um voz rouca, falhada, que se afinou, quase a chorar.

-Tu vais implorar para ele comer tua bunda?

-Vou!

-De joelhos?

-Vou implorar de joelhos. Vou chupar o pau dele e implorar para ele enfiar na minha bunda e na minha boceta – respondia quase sem forças em meio a uma respiração cada vez mais rápida

Eu acariciava os quadris de Rejane, afagava suas curvas suaves, como se o carinho fosse o abastecimento de uma nova energia para estocá-la de uma forma ainda mais selvagem. Retirava meu membro completamente e tornava a penetrá-la com um vigor transtornado, que a fazia arquear em minha direção, gritar por mais, um grito agudo e enlouquecido. Nossos corpos se batiam com força, a pele lisa e muito branca de Rejane tornava-se avermelhada.

A visão de meu cacete penetrando aquele corpo arrepiado, quente e perfeito, aliada à lembrança do olhar do homem para o seio de minha namorada e de como ela se excitou, me deixava dominado por um desejo insano e até então desconhecido, e eu retornava a falar para Rejane num tom excitado e suplicante:

-Ele tá lá com pau bem durinho louco para explodir num gozo. Só pensando em ti.

-Eu quero que ele goze na minha cara. Depois eu vou chupar tudinho.

-Tudinho?

-Tudinho. Até a última gota.

-Vai espremer com os lábios até ele ficar seco?

-Até ele ficar sequinho, ai que tesão! Me come, enfia mais fundo, me machuca, me faz gozar, ai que gostoso!

-Ele deu tesão?

-Muito. Pede para ele vir me comer. Diz que eu estou louca para dar para ele – respondia aos gritos, ofegante, jogando a cabeça freneticamente, de um lado para o outro.

Arremetia com estocadas secas e profundas, como se cada uma fosse a última, a derradeira, provocando gritos alucinados de Rejane, que clamava por mais e seus berros se expandiam a cada novo golpe, ecoavam pelo quarto, unindo-se aos meus urros selvagens, que emitia a cada investida.

-Pede para ele vir aqui me comer. Ai que tesão. Eu vou gozar. Eu vou gozar!

Ao sentir as ondulações do prazer tomarem conta de minha namorada, segurei-a com mais força pelas ancas e lhe dei dois golpes ainda mais ensandecidos, fazendo o tronco de Rejane se dobrar para trás, quase perder o equilíbrio, até que uma frenética tremedeira fez com que ela se contorcesse violentamente e, logo a seguir, ficasse por segundos paralisada de boca aberta, gemendo uma longa lamúria, seguida de um sorriso, quando sentiu meu gozo invadir suas entranhas. Despenquei sobre seu corpo amolecido, deitado na cama e ainda lhe estoquei três vezes, até que me entreguei completamente ao intenso gozo, que me prostrou sobre seu corpo satisfeito, beijando sua nuca suada, seus cabelos úmidos, a orelha e no rosto dizendo:

-Eu te amo! Eu te amo! Que tesão!

E Rejane respondia baixinho:

-Eu também, eu também.

Horas depois, ao parar o carro na portaria, propositadamente, Rejane tinha a blusa fechada até o último botão. Observou com prazer o olhar de frustração do funcionário. Tinha um ar de vitória. Sentia-se vaidosa em constatar todo o poder de atração e desejo que seu corpo exercia nos homens. Mas, quando arranquei o veículo, ela lançou um leve sorriso malicioso para o homem, cujo olhar de tesão tanto prazer havia lhe proporcionado.

3833 views

Contos Eróticos Relacionados:

Uma noite muito louca

O que vou relatar é minha versão dos fatos descritos por meu marido em um conto publicado aqui com o título de UMA NOITE INESQUECÍVEL. Somos casados a 19 anos e convivemos a 26, tenho 44 anos. ...

LER ESTE CONTO

Com o virgem do trabalho

Com o virgem do trabalho - Esse conto erótico é a parte dois do conto ( No trabalho com um virgem ), recomendo que leiam para melhor entender o que acontece aqui. Depois dessa primeira visita que...

LER ESTE CONTO

Comendo minha irmã casada na viagem de fim de ano

...Tirei minha sunga e passando a toalha estranhamente comecei a ficar de pau duro… Devia ser porque estava pelado tão perto de uma mulher; mesmo sendo minha irmã. Mas o pior foi que Rita virou me pegando ainda com a cueca na mão. - Desculpa Vitor, não aguentei de curiosidade…

VER

Sexo safado no meio da praia

Fiz um sexo safado na praia com uma amiga da minha tia. Neste conto eu vou relatar com detalhes como acontecer tudo. Minha família alugou um ônibus para todos viajarem para passar o dia em uma...

LER ESTE CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 2 + 1 = ?

ContoErotico.Blog - O Seu Site de Contos Eróticos 

Aqui no Blog Conto Erótico, nós trazemos todos os tipos de contos eróticos para alegrar e animar o seu dia. Nossos contos eróticos são enviados por nossos leitores e colocados aqui para excitar a todos. Sempre postamos contos eróticos com fotos, pois sabemos que isso deixa a história mais real e fácil de ser imaginada. Histórias porno, contos picantes, contos de sexo, fábulas eróticas, não importa qual o nome você dê, nós traremos tudo que você precisa para se divertir.

Todos os nomes dos contos eróticos são alterados por nossa equipe para preservar a identidade de todos, e todos os personagens que participam de nossas histórias eróticas são maiores de 18 anos.

Contos Eróticos Com Fotos

Todos os nossos contos tem pelo menos uma foto, pois sabemos que ler um conto erótico com foto é bem melhor do que só ler uma história solta, sem nenhuma imagem para ilustrar. As fotos dos nossos contos são meramente ilustrativas, são retiradas da própria internet, de sites pornográficos que divulgam essas imagens de forma gratuita.

Caso alguma imagem dos nossos contos eróticos com fotos pertença a você e você quer que seja removida, basta entrar em contato e enviar o link do conto que faremos a substituição. Algumas imagens também são enviadas pelos próprios autores dos contos.

Caso você precise entrar em contato conosco, basta usar a nossa página de contato.

Para enviar contos eróticos para serem publicados em nosso site, vá até a página "Enviar Seu Conto Erótico" e escreva sua história que postaremos aqui.

Buceta - Xvideos - Video de Sexo - Filme Porno - Porno Brasileiro - Bucetas - Zoofilia - Porno - Xvideos PutinhasMulheres Peitudas - Porno Nacional - Porno Español - Acompanhantes Campinas - Pornozao - Acompanhantes RJ - XXX - Porno Gratis - Contos Eróticos - Sexo Gay - Dog Porn - Sexo Com Animales - Contos Eróticos Incesto - Relatos Calientes - Porno Buceta - Ursos Pelados - Pornolandia - Cnnamador - Xvideo - Xvideos Porno - X videos - Corno Blog - Pornô - Xvideos Pornos - Mega Filmes - Putaria Telegram - Xvideos Onlyfans

Contos Eróticos

© 2024 - Conto Erótico - ThePornDude