Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Conto Erótico » Contos Eróticos Gay » Revivendo tentações

Revivendo tentações

Publicado em 15/01/2023 por Marcelo

Revivendo tentações – Quando eu era mais novo, tinha um casal vizinho muito amigo de meus pais. A gente vivia na casa um do outro. Eles eram uns 15 anos mais velhos que eu e eram muito gente boa. Eram quase da família. Tanto é que meus pais nunca tiveram nenhuma preocupação em me deixar sair com eles, pra ir a shoppings ou parques. No sábado à tarde meu compromisso era o futebol com o pessoal da empresa do Jorge, meu vizinho.

A gente almoçava e ia de ônibus pra uma associação, que tinha um campo de areia. Passava à tarde lá e voltava pra casa ao anoitecer. E com toda essa convivência, comecei a perceber algumas manias do meu vizinho e uma delas me irritava muito, no começo. Ele era uma pessoa que gostava muito de contato. A todo o momento colocava a mão nos outros, apertava, segurava o braço. Era do tipo que contava piada e vinha abraçando e dando risada.

Às vezes achava ele meio chato, pegajoso, mas como esse comportamento não era só comigo, acabei deixando passar. Só que com o tempo, acho que fui me acostumando e ligando cada vez menos, com os toques dele. Foi aí que comecei a perceber alguns contatos um pouco diferentes. Reparei que em varias ocasiões, como nos momentos que ia subir no ônibus ou entrar em algum local, como o vestiário, ele sempre me guiava com as suas mãos nas minhas costas e às vezes, na minha bunda.

Eram toques rápidos e a principio, sem maldade ou malicia, mas que com o tempo, na minha cabeça talvez, pareciam ser cada vez mais frequentes. Nessa época, apesar de não demonstrar, eu já tinha alguns pensamentos um pouco mais sacanas quando olhava os homens no vestiário. Não sei se foi por causa dele, mas descobri um outro lado meu, que tinha enorme curiosidade de sentir um outro pau. Mas isso ficou guardado e muito bem escondido. Depois de algum tempo, nossos vizinhos se mudaram e ficaram sumidos por uns 10 anos. Quando reapareceram eu já estava casado, mas ainda morando no mesmo terreno dos meus pais nas na casa dos fundos.

As visitas não eram mais tão frequentes mas pelo menos a cada três meses, a gente se reunia. Nessas reuniões pude perceber que aquela mania do Jorge, de ficar pegando e segurando os outros, ainda continuava. Às vezes ficava até com ciúmes quando ele ficava encostando na minha esposa mas sabia que era o jeito dele. Assim, depois de tantos anos longe, eles voltaram a fazer parte do nosso cotidiano. Num certo dia, minha sogra precisou fazer uma cirurgia de emergência e minha esposa precisou passar algum tempo com ela, cuidando até que se recuperasse. Acabei ficando umas duas semanas sozinho em casa.

Nesses momentos de solidão eu aproveitava pra soltar o meu lado homo, me masturbando e fantasiando situações com outros homens. Numa dessas noites, devia ser quase dez horas, meus pais já estavam dormindo na casa da frente e já fazia um bom tempo que eu estava me punhetando e brincando com o meu cu, quando a campainha tocou. Me vesti rapidamente, guardei meus brinquedos e fui atender a porta. Era Jorge, cheirando a cerveja e com uma cara nada boa.

Tinha discutido com a esposa e então pediu para dar um tempo na minha casa. Entramos e ele me contou que sua esposa não era mais a mesma na cama. Às vezes passavam mais de três semanas sem transar. Quando ele resolveu saber o porque, acabaram discutindo. Pra não fazer nenhuma besteira, já que ele gostava muito dela, resolveu vir pra cá. Tomamos um café e fomos pra sala conversar e assistir tv. Enquanto a gente assistia a tv, começamos a falar sobre a vida de casado, sobre convivência e sobre sexo. Falou que tinha saudade da época que era mais jovem e que achava que a minha esposa lembrava muito a dele, quando se conheceram.

Começou a fazer elogios e algumas perguntas mais pessoais sobre nosso relacionamento. Como não estava me sentindo muito à vontade com a situação tratei de mudar o rumo da conversa aos poucos, relembrando os tempos de futebol e dos papos de vestiário. Enquanto a gente recordava antigas histórias, Jorge pegou o controle do aparelho da tv a cabo e começou a mudar os canais e acabou achando um que só passa filmes pornô. Ele perguntou se podia assistir um pouco e eu disse que não tinha problema.

A situação começou a ficar bem estranha pois já tinha passado duas transas e eu estava ficando cada vez mais excitado. Jorge também estava, pois a cada minuto ele apertava mais forte o pau, que ainda estava dentro das calcas. Na tv a cena que começava era muito excitante. Um homem mais velho seduzia uma garota vestida de colegial.

Revivendo tentações

Revivendo tentações

Ele comandava a garota que na cena era totalmente ingênua. Jorge não resistiu, falou que a calca apertava o seu pau e perguntou se podia abrir o zíper da calca. Falei que era uma situação, no mínimo, estranha e ele disse que não via problema já que antigamente a gente ficava pelado junto no vestiário. Então concordei e pedi pra ele não fazer bagunça. Ele foi abrindo o zíper e dizendo que, apesar de estar com muito tesao, não iria fazer sujeira. Ele estava sentado bem do meu lado no sofá, vendo o filme e alisando o pinto. Nesse momento na tv, o homem debruçava a menina sobre uma mesa e começava a enfiar o seu enorme cacete no rabo dela.

Eu me desculpei com Jorge e também tirei meu pau pra fora. Eu já olhava mais para o pau dele do que para a tv. Ainda olhando pra tv, Jorge comentou que eu estava fazendo a mesma coisa que fazia nos tempos de vestiário, com os olhos vidrados num pau. Tentei negar mas ele disse que não adiantava, que sempre tinha percebido, que não via nenhum problema nisso e que eu podia continuar olhando. Eu fiquei muito sem jeito, com vergonha mas ainda mais excitado.

Ele então sugeriu de batermos uma punheta, um para o outro, ao mesmo tempo. Eu me fiz de desconfiado, mas aceitei. Estávamos sentados no sofá, assistindo o filme, eu com a minha mão direita segurando o pau de Jorge e ele com a esquerda retribuindo o favor. Ele cobria todo o meu pau só com uma mão enquanto eu precisaria quase das minhas duas mãos, já que o dele era bem maior.

Depois de algum tempo nessa posição ele pediu para parar um pouco, pois o zíper da calca estava lhe machucando. Ele se levantou, tirou a calca e a cueca, ficou em pé na minha frente e me pediu pra que continuasse só mais um pouco. Eu me aproximei, sentei bem na beira do sofá e continuei batendo uma punheta pra ele, só que a agora o seu pau estava a menos de trinta centímetros do meu rosto. Pela primeira vez eu podia observar um outro pinto bem de perto.

E era incrível. Eu estava segurando um pinto totalmente duro, com uma cabeça que brilhava e era ainda mais grossa que o resto do membro. Enquanto ele gemia eu percebia que ele se aproximava de mim lentamente. Quando já estávamos bem próximos ele colocou a sua mão sobre a minha cabeça e foi me puxando em direção do seu pinto. Eu esbocei uma certa resistência e ele disse pra eu relaxar, que era só pra eu dar uns beijinhos nele. E foi o que eu fiz. Comecei beijando a cabeça e fui descendo até o saco, quando ele pediu pra que eu usasse só a ponta da língua. Até o momento eu só tinha sentido o cheiro de outro homem. Agora já sentia o gosto.

Mais alguns segundos e ele me pediu pra que eu colocasse só a cabecinha na minha boca e chupasse. Não demorou muito e eu já estava me engasgando com todo aquele pau dentro da minha boca. Eu chupava com muito tesao e a cada gemido que ele dava eu caprichava ainda mais. De repente ele pediu pra trocarmos de posição. Pra mim foi um balde de agua fria já que eu estava gostando muito da situação. Ele então se sentou no sofá e eu me levantei. Eu estava usando uma calca de moletom e estava só com o pau pra fora, totalmente duro. Ele começou a me punhetar com uma mão e com a outra alisava minhas coxas.

Foi aí que eu comecei a perceber suas intenções. Sem parar de me masturbar ele começou a baixar as minhas calcas e a cueca. Sua mão subia e descia ao longo das minhas costas, passando pela bunda. Lentamente ele me virava de lado enquanto eu delirava com a sua mão percorrendo a minha bunda e seus dedos forçando a porta do meu cu. Quando eu percebi, já estava quase de costas para ele. Sem largar do meu pau ele começou a beijar a minha cintura, minhas costas e minha bunda. Meu pau já estava quase explodindo quando ele o soltou. Ele me inclinou um pouco, com as duas mãos abriu a minha bunda e começou a lamber o meu cu.

Minhas pernas bambearam de tesão e eu quase caí. Ele se levantou e me debruçou sobre os braços do sofá que eram bem altos e continuou com o banho de língua. Com o meu rabo cheio de saliva ele enfiou um dedo e logo em seguida mais um. Não demorou muito e ele puxou meus braços pra trás e pediu pra que eu abrisse bem a bunda e relaxasse. Ele posicionou a cabeça do pau na porta do meu rabo e começou a forçar. Eu sentia cada centímetro daquele pau entrando dentro de mim.

Em alguns instantes eu já sentia os pentelhos do Jorge roçando a minha bunda. Ele então começou os movimentos, inicialmente lentos, mas que foram aumentando cada vez mais, eu delirava de prazer enquanto ouvia o Jorge dizer que esperava por esse dia a muito tempo. Ficamos nessa posição por vários minutos quando finalmente Jorge gozou. Eu já tinha gozado bem antes, sem sequer ter tocado no meu pau. Já era mais de uma hora da madrugada quando Jorge foi embora. Não teve muita conversa ou explicações. Ele apenas disse que eu o tinha ajudado bastante e estava muito agradecido, eu respondi que quando ele precisasse, podia contar comigo.

Veja abaixo alguns outros contos gays bem interessantes e picantes:

O AP do Rick

Casado dando em Natal

6195 views

Contos Eróticos Relacionados:

Boquete da namorada quase pego pela mãe

Meu nome é Lucas tenho 19 anos sou alto, magro, cabelo lisos, olhos bem azuis, super gentil e simpático (até mais do que eu gostaria de ser),  sou novo no site de contos e vou compartilhar uma...

LER ESTE CONTO

Em Buenos Aires com minha esposa tarada

Em Buenos Aires com minha esposa tarada - Bem. Meu nome é Miguel e minha esposa Catarina. Somos um casal de 46 anos, casados há 10 anos e gostamos muito de sexo e as vezes fazemos algo diferente...

LER ESTE CONTO

Eu e o tio coroa da minha amiga

...Resolvi então aproveitar, aquele coroa era muito bonito e estava me deixando excitada, passei os braços em volta do seu pescoço e comecei a alisar seus cabelos grisalhos e sedosos, senti seu volume crescer mais de encontro ao meu corpo, passei a esfregar minha bucetinha no seu pau, ele falou: - Isso tesudinha, mexe assim, vamos delícia...

VER

Adoro ser corninho manso

Eu adoro ser corninho manso e vou contar mais uma de minhas histórias com minha hotwife para vocês. Como já havia escrito antes somos bem liberais casados a anos estava trabalhando e minha esposa...

LER ESTE CONTO

1 - Comentário(s)

  • Alec Felipe 18/01/2023 05:11

    Já comi muito cu de homem casado solteiro noivo ou que tinha namorada. Sou coroa cinquentão sou ativo para o casal e mulheres sós tô loko pra comer uma carinha novinho preferência lisinho branquinho ou moreno bem claro. Se estiver acompanhado dela ou uma amiga melhor ainda não a negros e obesos não a menores de idade sigilo total e discrição Onze nove cinco dois sete três meia dois quatro três

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 4 + 5 = ?

ContoErotico.Blog - O Seu Site de Contos Eróticos 

Aqui no Blog Conto Erótico, nós trazemos todos os tipos de contos eróticos para alegrar e animar o seu dia. Nossos contos eróticos são enviados por nossos leitores e colocados aqui para excitar a todos. Sempre postamos contos eróticos com fotos, pois sabemos que isso deixa a história mais real e fácil de ser imaginada. Histórias porno, contos picantes, contos de sexo, fábulas eróticas, não importa qual o nome você dê, nós traremos tudo que você precisa para se divertir.

Todos os nomes dos contos eróticos são alterados por nossa equipe para preservar a identidade de todos, e todos os personagens que participam de nossas histórias eróticas são maiores de 18 anos.

Contos Eróticos Com Fotos

Todos os nossos contos tem pelo menos uma foto, pois sabemos que ler um conto erótico com foto é bem melhor do que só ler uma história solta, sem nenhuma imagem para ilustrar. As fotos dos nossos contos são meramente ilustrativas, são retiradas da própria internet, de sites pornográficos que divulgam essas imagens de forma gratuita.

Caso alguma imagem dos nossos contos eróticos com fotos pertença a você e você quer que seja removida, basta entrar em contato e enviar o link do conto que faremos a substituição. Algumas imagens também são enviadas pelos próprios autores dos contos.

Caso você precise entrar em contato conosco, basta usar a nossa página de contato.

Para enviar contos eróticos para serem publicados em nosso site, vá até a página "Enviar Seu Conto Erótico" e escreva sua história que postaremos aqui.

Buceta - Xvideos - Video de Sexo - Filme Porno - Porno Brasileiro - Bucetas - Zoofilia - Porno - Xvideos PutinhasMulheres Peitudas - Porno Nacional - Porno Español - Acompanhantes Campinas - Pornozao - Acompanhantes RJ - XXX - Porno Gratis - Contos Eróticos - Sexo Gay - Dog Porn - Sexo Com Animales - Contos Eróticos Incesto - Relatos Calientes - Porno Buceta - Ursos Pelados - Pornolandia - Cnnamador - Xvideo - Xvideos Porno - X videos - Corno Blog - Pornô - Xvideos Pornos - Mega Filmes - Putaria Telegram - Xvideos Onlyfans

Contos Eróticos

© 2024 - Conto Erótico - ThePornDude