Menu fechado

O gostoso que conheci na balada

O gostoso que conheci na balada, um conto erótico que se passa logo após o fim do meu último e fracassado relacionamento com um namorado que não me queria mais. Nos últimos tempos não andava bem com o meu namorado, na verdade já tinha algum tempo. O sexo já não era a mesma coisa e já fazia muito tempo, até que em uma quinta feira a noite eu decidi terminar. Já não aguentava mais aquela mesmice e o sexo meia boca que fazíamos, quando rolava… Na sexta-feira minhas amigas me arrastaram pra uma festa no centro, já que tinha concordado em ir coloquei um vestido vermelho curtinho com um decote bem generoso na frente e claro um salto alto preto.

O gostoso que conheci na balada

A festa estava até boa, mas ninguém tinha chamado a minha atenção até então… Foi quando um moreno magro de olhos penetrantes apareceu no meio da multidão me oferecendo uma bebida. Aceitei e começamos a trocar uma ideia, ele falava sempre no meu ouvido com uma voz rouca e sexy, a coisa começou a esquentar quando fomos dançar. Ele me abraçou por trás e sua mão ia deslizando por todo o meu corpo, eu esfregava minha bunda na sua cintura descendo e subindo. Ele tirou o meu cabelo do pescoço e começou a beijar e alternava entre beijar e me dar mordidinhas de leve na minha orelha. O que me deixou excitada, foi então que percebi sua mão escorregando da minha cintura e indo em direção a minha coxa. A mão dele era quente e macia, mas pegou bem firme na minha coxa, encostando levemente na minha calcinha. Involuntariamente fiz pressão com o meu quadril no dele e senti o volume em suas calças, imediatamente ele me virou apertou seu corpo contra o meu e me deu um beijo com tanto tesão que fiquei até sem ar. Depois daquele beijo sussurrou no meu ouvido dizendo que eu tinha deixado ele louco de tesão e adoraria ir para outro lugar comigo, porque as coisas que ele queria fazer comigo jamais poderiam ser feitas ali. Eu estava com muito tesão, na verdade tinha muito tempo que não ficava tão excitada, fiquei com a calcinha toda molhada. Eu topei, me despedi das minhas amigas e fomos para o meu apartamento de Uber. Ele abriu a porta do carro para que eu pudesse entrar, enfiou as mão entre os meu cabelos da nuca e me beijou, enfiou a mão entre as minhas pernas e sentiu minha calcinha molhadinha, e mais uma vez com aquela voz perguntou se teria algum problema ele resolver o meu problema com a calcinha molhada. Nesse momento eu já não respondia mais por mim e sim pelo tesão e eu concordei. Ele tirou minha calcinha e arreganhou minhas pernas e me chupou com vontade, como a muito tempo eu não era chupada, nesse momento eu não me importava com mais nada, nem mesmo lembrei que estava em um Uber. Quando estava quase gozando chegamos no meu apê, meu rosto queimou de vergonha quando voltei a mim, mas fingi naturalidade. Assim que entramos no elevador beijei ele, que me ergueu na altura da sua cintura e eu entrelacei as pernas em sua cintura. Saímos e entramos no meu apê desse jeito, quando abri a porta ele me jogou no sofá, tirou a roupa e veio pra cima de mim como um louco sedento por mim. Me deu mais um beijo na boca, chupou meu pescoço, pegou no decote do meu vestido e o rasgou até meu umbigo ficando com acesso livre ao meus peitos.

O gostoso que conheci na balada

Ele chupou com vontade, como se fosse a primeira vez em tempos, aquilo me deixava ainda mais excitada, e mais uma vez ele veio ao pé do meu ouvido dizendo que seu pau estava tão duro que chegava a doer de tanto pulsar por mim. Empurrei ele, amarrei meu cabelo fiquei de joelhos e comecei a mamar ele, chupei bem gostoso, ele apartou minha cabeça até o pau chegar bem no fundo da minha garganta e eu começar a engasgar e pediu pra gozar na minha boca, aceitei e assim fez.

O gostoso que conheci na balada

O gostoso que conheci na balada

Assim que terminou me colocou de quatro segurou no meu cabelo e na minha cintura e enterrou seu pau com força na minha buceta que me fez gemer alto de prazer. Ele socava forte, fundo e rápido, e dizia que ia fuder a minha bucetinha gulosa a noite toda.

O gostoso que conheci na balada

Pediu pra eu cavalgar, pois queria ver meus peitos balançando na cara dele, mas ele logo tomou o controle e me pegou pela cintura e começou a me socar nele, aquilo foi tão bom que gozei, mas eu ainda não estava satisfeita e queria mais. Fomos para o meu quarto e transamos por mais um tempo até que gozamos pela segunda vez. Mas ele ainda não estava satisfeito e queria mais, foi então que ele me virou de costas e começou a esfregar o pau na minha bunda e disse que o meu cuzinho precisava de carinho também. Ao lado da minha cama tinha uma gaveta com lubrificante peguei um e passei naquele pau gostoso e muito duro, ele se deitou e eu sentei no pau dele com vontade em resposta ele gemeu alto e me chamou de gostosa do cuzinho guloso.

O gostoso que conheci na balada

Já estavamos molhados de suor, ele me jogou contra a janela e fudeu meu cu até eu gozar e depois de um tempo ele também. Depois dessa gozada meu corpo amoleceu, mas ele ainda me colocou debruçada da mesa e socou em mim até quase gozar mais uma vez. Eu passei minhas pernas mais uma vez em sua cintura, ele me colocou contra a parede, arreganhou ainda mais as minhas pernas as colocando por cima do seu braço e socou até eu e ele gozar.

O gostoso que conheci na balada

Depois dessa já estava amanhecendo, tomamos um banho e ele foi embora e eu apaguei. E desde então não paramos mais de trepar sem compromisso.

Veja abaixo outros contos eróticos bem gostosos:

A tia de um grande amigo meu

Amei os pezinhos da minha aluna

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.