Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Conto Erótico » Contos Porno » Tomei uma surra de um pauzão grande e grosso

Tomei uma surra de um pauzão grande e grosso

Publicado em 24/10/2022 por Damma Safada

Tomei uma surra de um pauzão grande e grosso – Oi, hoje tenho 30 anos, seios fartos e durinhos, uma bunda que não é grande, mas como dizem muito bem formatada kkk, me considero magra, peso na média de 60 quilos, e tenho 1,76 de altura.

    Um cara curtia muitas coisas minhas no Face, até que um dia eu resolvi descobrir quem era, e comecei a conversar e assim eu  o abordei dizendo que ele era fake, mas queria saber como sabia tanto de mim, disse que era fake realmente, pois me achava linda, mas era muito tímido, bem mais velho que eu, tinha 44 anos, ou seja 18 a mais, eu já desconfiava de quem era, e disse que só falaria se fosse no face verdadeiro, e para minha surpresa era um cara que eu achava bem interessante, mas descobri que era um carinha que havia tido um caso com minha irmã, mas que na época ele era casado e ela namorava, então quando saíam , ele pegava ela  na esquina aqui de casa, e saiam para o motel e sei de uma vez que foram até para uma cidade vizinha. Vocês devem estar imaginando como sei de tudo isso, é que usávamos o mesmo pc e notava que ela falava hora no computador e em outras vezes no celular e saia correndo, em uma dessas vezes ela esqueceu o face aberto e entrei nas conversas e em outras vezes ela deixava o cel perto de mim e tomava banho e saia correndo, e eu sabendo a senha dela vi os papos que eles trocavam.

    Ele me convidou para sair na sexta, perguntei se continuava casado, embora em seu face dizia solteiro e não havia fotos com a esposa ou possível namorada, pois estava em Panambi e chegaria neste dia, eu topei, mas disse que sairíamos apenas para conversar.

  Na sexta me ligou e eu não atendi, não achava roupa para colocar, coisas de mulher, e minha mãe que estava nos visitando disse que não era o mais importante, e falei na mana, e me disse que se os dois não estavam mais se vendo eu que deveria ir. Atendi o telefone, pedi que passasse lá em casa pela 21h00 e fui me arrumar, tomei um banho, coloquei uma calcinha preta  e  sutiã da mesma cor, calça jeans bem justa e uma camisete preta, ele chegou bem lindo e gostoso, calça jeans, camisa salmão e sapatos e cinto marrons, e me esperou do lado de fora do carro, quando fomos nos cumprimentar, ele beijou meu rosto e senti um perfume muito gostoso, pensei comigo mesmo…VOU PEGAR.

    Perguntou onde gostaria de ir e eu disse que ele escolhesse, e fomos a um badalado restaurante aqui de Pelotas , fizemos o pedido pedimos uma Zillertal, e jantando tomamos várias. Saindo do restaurante me perguntou se eu queria ir para casa, falei que não, que estava adorando sair com ele e que quem sabe fossemos na choperia Cruz de Malta para seguirmos nos conhecendo melhor, então nos dirigimos para lá.

   Chegamos e logo procuramos uma mesa e ficamos conversando, descobrindo um pouco mais um da vida do outro, e eu louca para tocar no assunto dele com a mana, mas não via oportunidade, e seguíamos bebendo e conversando até que o Cruz ficou vazio e fomos embora, no caminho para casa passamos no Bar da Bete e vimos movimento, é um bar de gente mais velha, me convidou e entramos, e logo estávamos sentados um ao lado do outro e comecei a notar o assanhamento das mulheres mais velhas para cima dele, e cheguei bem para perto, fizemos um brinde e nos beijamos, que vontade eu já estava de sentir aquela boca e o beijo era muito bom, e devido ao local onde estávamos ser em um canto e o bar ter pouca iluminação os beijos foram ficando mais intensos, aquela língua percorria a minha boca, e mordia levemente os meus lábios me levando a uma loucurinha boa, sabe aquele beijo que te faz tremer as pernas, que deixa vc subindo pelas paredes, que meleca a bucetinha e molha a calcinha, bem assim, e já senti que ele passava as mãos nas minhas coxas, uma mão pesada, mas carinhosa e eu queria mais, mas estávamos em local público e falei para ele que estava tarde e que deveríamos ir embora, pediu para tomarmos mais uma cerveja e depois irmos, e entre uma cerveja e beijos cada vez mais vorazes perguntei o que pretendia fazer no sábado, me falou que tinha um casamento em Bagé(180 km), mas que só iria se eu fosse com ele, eu louca para ir, ou melhor iria a qualquer lugar em que ficasse com ele, indaguei de quem era, onde ficaríamos, falou que era de de um cara que trabalhava com ele e que era da minha cidade natal, falou o nome, claro que eu conhecia, mas perguntei se poderia dar a resposta amanhã, pois minha mãe estava em Pelotas e como ela havia vindo apenas para nos ver(eu e meus irmãos), preferia saber se não ficaria chateada, na verdade eu queria saber o que ela achava, se a mãe achava que a minha irmã ficaria chateada, coisas assim.

Terminamos a cerveja e ele foi me deixar em casa, na frente do apto voltamos a beijos ardentes, ele colocando a mão nas minhas coxas, chegando na minha buceta e a pressionando por cima da calça, e eu não aguentando mais de tesão comecei a passar a mão no pau por cima da calça jeans, opa, gostei do que senti, duro, grosso e bem “grandinho” hehe, e só pensava que se minha mãe não estivesse em casa eu o convidaria para subir na hora, e colocou a mão por dentro da minha blusa e sutiã e já sussurrava no meu ouvido me convidando para irmos para o apto dele, e eu já quase dizendo sim resolvi terminar com a deliciosa brincadeira, estávamos na frente do meu edifício, haviam os vizinhos, os riscos e pedi para subir, ele levantou a camisete com o sutiã junto e lambeu meus seios, chupou-os deliciosamente e eu  cheia de tesão disse que já estava bom e sai correndo do carro, cheguei na janela do carro dei um gostoso beijo e sumi para dentro do edifício.

    Acordei minha mãe para contar tudo o que havia acontecido, falei que havia adorado conhecer, não entrei em detalhes, e que ele havia me convidado para irmos a um casamento em Bagé, me perguntou o que eu queria, falei que por mim já teria até ido dormir na casa dele, que gostaria de viajar com ele, e só dependia dela, pois como havia vindo nos visitar e eu viajar poderia ficar chateada, disse que eu fosse. Mandei um watts dizendo que tudo estava combinado, que precisava alugar um vestido e marcar uma maquiadora para depois irmos, respondeu que adoraria minha companhia e que no outro dia pela manhã me pegaria pelas 10 horas para vermos o vestido.

   No outro dia quando me pegou já nos beijamos na boca como namorados, e quando saímos de carro para ir ver o vestido já coloquei a mão na coxa. Para encurtar o relato, escolhi um vestido, fui na maquiadora, fiz as unhas, cabelo e quando eram 15 horas me pegou na porta do  apto, eu vestia uma saia curtinha de brim e camisetinha, ele bermudas e camiseta. Carregamos as minhas coisas e fomos tomando mate( chimarrão) até Bagé, e conversamos muito, conforme conversávamos via que iríamos nos dar muito bem e tínhamos muitas coisas em comum, e os 180 km passaram rápido.

   Chegamos  no hotel e como eu já imagina só havia um quarto reservado, mas ele não me falou nada e eu fiquei quieta, subimos pelo elevador e entramos no quarto, havia uma pequena peça, tipo um hall onde havia umas prateleiras e um cabideiro do lado esquerdo, no lado direito uma porta que dava acesso ao quarto e na frente a porta do banheiro. Colocamos nossas coisas no hall e entramos no quarto, ligamos a TV e ele se sentou na cama, eu me sentei ao lado e não demorou para começarmos a nos beijar, eu não podia deitar a cabeça pq havia feito um coque rosquinha e também não podia suar porque estava maquiada, mas  nos entregamos aos beijos e a cada minuto ficavam mais intensos e ele já alisava minhas coxas nuas, eu já louca para “pegar Nele”, segurar aquela pica que eu tanto queria “conhecer”, mas tentava me manter na minha e foi quando senti suas mãos nas minhas coxas por baixo da saia, ele atrevidamente tocou minha xaninha por cima da calcinha já molhada, e quando foi colocar minha calcinha para o lado e tocar minha xaninha nua eu me levantei, disse que precisávamos tomar  banho e nos arrumar, vi a cara de desapontamento e disse que ele não tivesse pressa, que seria recompensado depois da festa de casamento.

   Peguei uma calcinha vermelha fio dental, coloquei na mão para que ele não visse e tivesse mais tarde uma surpresa, fechei a porta que dava para o hall e depois fui ao banheiro tomar banho, quando tirei minha calcinha fiquei impressionada como estava molhada, toquei minha xaninha e tive vontade de gozar, mas não, eu queria guardar todo o meu tesão, entrei no banho e só pensava em fuder com ele, mas tomei meu banho bem comportada, passei meus cremes, perfume e soquei a calcinha, sandálias de salto e depois o vestido, quando cheguei no quarto me disse que estava linda, e ainda comigo na porta do quarto me deu um beijão e foi para o banheiro, voltou depois de uns 20 minutos vestido e lindo, um terno preto, camisa cinza escura e uma gravata preta com detalhes em cinza claro, e o que eu mais gostei, não fez a barba(adoro) e os cabelos desalinhados, só havia passado a mão no cabelo, sem pentear, e falou que já estávamos na hora, na verdade atrasados para o casamento, mas havíamos combinado de ir só na festa, e descemos, quando estávamos ainda no elevador fiquei olhando para ver se não haviam câmeras, pegamos o carro e fomos para a festa.

    A festa era no Sindicato Rural na sede de uma associação de cavalos, muito apropriado o lugar para o verão, e quando chegamos já cumprimentamos os noivos, achamos uns amigos dele que nos convidaram para a mesa e ficamos ali de pé conversando, até que um garçom chegou perguntando o que queríamos beber, pedi um espumante e ele um Whisky com bastante gelo, e quando chegou a bebida vi que ele perguntou o nome do garçom e apertando a mão do cara passou um dinheiro, e disse que ele se lembrasse sempre de nós, só vi o rapaz dizer que sim e ficamos por ali. Não demorou muito e já veio o jantar e em seguida começou a valsa e depois a pista foi liberada e fomos dançar, entre beijos comportados e muita bebida íamos nos divertindo muito, até que me convidou para irmos próximo aos carros onde vimos que as pessoas iam fumar, disse que não aguentava mais não fumar, e fomos, na hora que chegamos não havia ninguém por ali e me encostou em uma árvore e começamos a nos beijar intensamente, falou que eu dançando e o beijando estava louco para me pegar, e começou a levantar meu vestido, que queria ver se eu estava com tesão, e fui salva ou não( depende, né), pq já vinha gente se aproximando do lugar onde estávamos e voltamos para a festa, voltamos a dançar e a espumante já me fazendo efeito, e foi quando estávamos em um canto da pista de dança, local mais escurinho que deu uma música lenta e quando ele me pegou nos braços eu já senti a piça dura querendo rasgar a calça, furar meu vestido e me tomar toda, e não tive dúvidas, sentindo aquela pica dura me esfreguei, dancei e rebolei mais que o ritmo da música pedia, e empurrava meu quadril para frente tentando sentir o máximo possível daquela coisa dura, e o safado falou no meu ouvido dizendo que queria arrancar a  pequena calcinha vermelha, nossa me subiu um calorão, fiquei vermelha e perguntei como ele sabia da cor da calcinha, disse-me que viu a pequena peça na minha mão e que tinha que ser pequena, pois coube toda dentro da mão, e caiu na risada, voltamos a nossa mesa, os outros casais dançavam e foi quando sentamos que eu subi meu vestido longo até os joelhos e coloquei a mão dele entre minhas pernas, e a repousou sobre minha grutinha coberta apenas pelo fino tecido da calcinha vermelha, começou a realmente me tocar, forçava a mão e garanto que sentia minha fendinha molhada, pois eu sentia os dedos quererem forçar o tecido da calcinha e eu já me derramando, e eu já bem alta da bebida disse baixinho no ouvido dele.

Tomei uma surra de um pauzão grande e grosso

Tomei uma surra de um pauzão grande e grosso

– EU SOU DIFERENTE!
…me perguntou:

– Diferente como?
eu repeti:

– DIFERENTE,ESPERO QUE TU GOSTE!

e pedi para irmos para o hotel, claro que ele topou.

   Saímos “a francesa”, ou seja sem se despedir de ninguém, pegamos o carro e como estava em um lugar bem escuro ali já começamos um arreto forte, não nos aguentávamos mais e pedi que fossemos logo embora. Chegamos no hotel, pegamos a chave do quarto e no elevador começamos a nos pegar, eu passava com vontade a mão no pau, agarrava gostoso e ele com as mãos espalmando minha bunda, abri o zíper da calça e quando tirei o pau para fora, era um “Senhor Caralho” e peguei na cabeçona toda meladinha o elevador chegou, coloquei para dentro e saímos do elevador.

   Abrimos a porta do quarto e mal deu tempo de fechar a porta e ali mesmo no hall do quarto voltamos a nos pegar, se encostou no marco da porta, me virei de costas para ele e comecei a esfregar minha bunda naquela picona dura, ele baixou as alças do meu vestido que caiu no chão e fiquei só de calcinha, e virei para ele, fiquei de joelhos para ajudar a tirar a calça, eu abri a calça e puxei para baixo junto com a cueca deixando aquele caralhão que eu tanto queria na altura da minha boca, que pauzão lindo, grande e cabeçudo, o maior que eu já havia até hoje, e cai de boca literalmente, queria provar se era gostoso o tanto quanto era Grande, beijei a cabeçona rosinha, lambi toda a extensão da pica, lambi o saco, o períneo e depois enfiei o máximo que consegui na boca, eu estava literalmente puta, pois de cócoras, só de calcinha vermelha e sapatos de salto alto, eu mamava um pirulitão taradamente, parecia que só existia aquele pedaço de carne cheia de nervos no mundo, e que eu precisava chupar para viver, e foi quando, acho que com receio de gozar, me pegou pela mão,me levantou e me levou até a cama, ficou de joelhos ao lado da cama, e abriu com força minhas pernas, nossa que delícia, e puxou minha calcinha retirando-a, eu de pernas escancaradas e só de sapatos sentia o hálito quente se aproximar da minha bucetinha,  o cara ia me chupar, e eu já enlouquecida de tesão e adoro ser BEM chupada, e o safado abriu minha bucetinha com as mãos, achou meu grelo e começou a lamber, nossa, depois chupou e chupou meu grelinho, até que eu completamente entregue, úmida, senti a língua entrar na minha buceta e ele me chupar como se um cãozinho estivesse tomando água, não aguentei e tremendo gozei, me acabei gritando e gemendo muito na boca do tarado, e mal eu acabara de gozar me levantei da cama, queria piça, e o puxei até a parede, encostei-o e de costas para ele comecei a esfregar minha bunda na pica dura, grossa e gostosa, sentia ela se encaixar no meio das minhas pernas roçando a minha buceta e eu tirava e aí sentia ela no meu reguinho, e às vezes cutucando meu cuzinho, mal sabia ele que adoro dar o Cuzinho, e foi quando me pegou e me jogou na cama, abriu bem minhas pernas e começou a pincelar a pica nos meus lábios, esfregava, eu pedia pra meter, e ele encostava a cabeça e tirava, e voltava a esfregar, até que apontou novamente para a minha xana e aí sim, que delícia, senti a cabeça passar pelos meus lábios vaginais e começou a entrar, eu delirava a cada cm que ele colocava, socou até acho que a metade e começou a tirar, eu reclamei e o safado socou tudo com força que eu gritei em um misto de dor e prazer, aquilo parece que me rasgava e então foi que teve início um vai e vem gostoso, as vezes o safado tirava tudo, eu implorava e ele colocava devagarinho e depois voltava a bombar com vontade e assim fui deliciosamente castigada por uns bons minutos até que disse que não aguentava mais que iria  acabar, e perguntou onde que eu queria porra, se queria que tirasse e gozasse fora, mas eu sem raciocinar direito mandei que gozasse tudo na minha buceta,

– GOZA DENTRO!

e então o safado tirou, senti porra nos meus lábios vaginais e em meus pentelhos bem aparados e depois do primeiro jato enfiou e se acabou junto comigo em gritos que acho que metade do hotel ouviu, em seguida acabamos pegando no sono devido ao sono e bebedeira.

    Acordei no meio da noite, fui ao banheiro, tirei minha maquiagem e tomei um rápido banho, e quando voltei notei que ele estava dormindo de pau duro, não tive dúvidas e fiquei de quatro na cama e comecei a chupar aquele caralhão gostoso, logo ele acordou, e se posicionou melhor para que eu pudesse chupar, me pegou pelos cabelos e perguntou se a putinha tava com fome, se queria leite na boquinha, sorri e afirmei positivamente com a cabeça e segui chupando, agora sendo incentivada com palavras de baixo calão que adoro, tipo: puta, vagabunda, cadela e outras lindas palavras e o safado aproveitando que eu estava de 4 foi colocando a mão na minha bunda e logo senti um dedo cutucar o meu cuzinho, o que fez com que eu rebolasse deliciosamente e vendo que eu estava adorando enfiou a pontinha e depois todo o dedo e eu não sabia se curtia ou continuava chupando, foi quando falei para ele colocar mais um dedinho, e o safado socou outro dedo, que delícia e mamei com mais vontade até que tirou os dedos do meu rabo, segurou meu cabelo e gozou na minha boca, o primeiro jato foi quase na garganta, e depois eu mamei tudinho e tomei, falei que agora bem alimentada eu queria dormir, e virei para o lado, ainda pensei antes de pegar no sono, ele não viu nada ainda e adormeci.

Acordei destapada e notei que ele estava acordado e como eu estava de bruços, havia retirado o lençol que me tapava e estava de olho “no meu rabo”, na minha “bundinha”, fingi continuar dormindo até que ele passou deliciosamente a mão na minha bunda, chegando a forçar meu cuzinho com os dedos e ouvi baterem na porta, se levantou, foi até a porta pegou o café da manhã e notei que foi ao banheiro e em seguida ouvi o chuveiro ligar, quando desligou o chuveiro  me posicionei para recebê-lo, ou seja, deitei de bruços, me destapei e abri bem as pernas e fingi dormir. Quando entrou no quarto e me viu toda arreganhada a dormir, subiu na cama e senti a língua no meu reguinho, logo ele abri meu rabo e lambeu meu cuzinho, foi quando fingi acordar e perguntei o que estava fazendo

– Não aguentei te ver assim e fiquei louco para lamber teu cuzinho lindo;

– ENTÃO CONTINUA MEU SAFADO, PORQUE ADORO,

e eu a cada lambida no meu rabinho eu sentia uma vontade danada de dar, de sentir aquela pica no meu cuzinho, sempre gostei de fazer anal, mas nunca, nem de perto uma pica tão grande quanto a dele havia sequer chegado perto do meu rabinho, e foi quando ele me pediu para ficar de quatro na cama, eu me coloquei de modo que ele pudesse me comer ficando de pé,  e abri bem minha bunda e mandei que socasse devagarinho, meteu a cabeça da pica entre meus lábios vaginais, e depois foi entrando centímetro por centímetro até só restarem as bolas de fora e começou um cadenciado vai e vem, tirava quase todo, quando a cabeça ia sair ele me socava a pica toda, e assim comigo louca de tesão ele colocou um dedo no meu cuzinho, enfiava e tirava com carinho, depois senti que eram dois e:

-Tô louco para meter no teu cú;

-TA LOUCO, COM UM CARALHO DESTE TAMANHO, NEM PENSAR,

ele continuou naquele vai e vem e com os dedos no meu cú, e foi me deixando louca, cada vez mais louca e com mais vontade de dar o cú, que acabei pedindo:

– TÁ, EU DEIXO TU COLOCAR NO MEU CUZINHO, MAS TEM QUE SER BEM DEVAGARINHO, TEU CARALHO É MUITO GRANDE, E TEM QUE SER DE CAMISINHA E COM ALGUM LUBRIFICANTE,

ele prontamente tirou a pica da minha xaninha, foi até o banheiro e voltou com uma camisinha e um KY:

– Se o problema é camisinha e lubrificante, então tá resolvido.

Pediu ajuda para colocar a camisinha, o que fiz com maestria, e fiquei de 4 esperando pica, lambeu meu cuzinho e socou a pica na minha buceta encharcada e foi passando KY nos dedos e enfiando um, depois outro no meu cuzinho, e isso acontecia ao mesmo tempo que eu tomava pica na xana, então ele tirou o pau todo melado, colocou um pouco de ky na pica encamisada e senti a cabeça encostar no meu cuzinho, pediu que eu abrisse bem minha bunda, e senti a pica alargar meu buraquinho, senti um calor, uma ardência quando a cabeça entrou, quase que escuto o rebentar das minhas últimas preguinhas, tive vontade de desistir, mas agora eu queria, precisava daquele caralhão todo dentro do meu cú, e ele foi empurrando, socando cm por cm até que senti as bolas baterem na minha bunda, doía e doía muito, mas eu precisava e quando acabou de entrar ele ficou quieto, talvez pelo meu rosto estar com expressão de dor, ou por eu me contrair toda, pediu que eu relaxasse, e para aliviar a dor eu comecei a rebolar na pica, nossa começou a ficar bom, a dor diminuiu e pedi que tirasse todo deixando só a “cabecinha” , ele o fez e aí eu comecei a botar para dentro e rebolando tirava e enfiava de novo, até que me pegou pela cintura e tirou todo, senti um vazio, mas logo ele olhou o estrago no meu rabinho e meteu de novo, e começou a socar com força, metia e tirava, e metia de novo, falou para eu massagear meu grelinho para gozarmos juntos e depois de uns 5 minutos socando e socando pica para dentro do meu cú avisou que ia gozar, e perguntou onde eu queria porra, falei que assim que eu gozasse ele poderia gozar nos meus seios, e tarada que eu estava aumentei meu ritmo e me acabei gritando muito, acho que meu gozo enlouqueceu o cara, pois tirou de mim a pica, pediu para eu virar de barriga para cima, ficou de joelhos na cama, livrou aquela delícia de pau da camisinha, e se masturbando gozou, o primeiro jato forte de porra atingiu meus lábios, meu rosto e meu cabelo, e depois terminou o gozo nos meus seios, e eu espalhei a porra nos meus seios, lambi meu lábios e o safado arreganhou minhas pernas e se enfiou dentro da minha buceta e caiu por cima de mim e terminamos extasiados e nos beijando como velhos namorados.

    Tomamos o café, ele foi ao banho, pois tínhamos que sair do hotel, e fiquei ali, com uma mão na minha xaninha toda esfolada, vermelhinha da meteção e coloquei a outra mão no meu cuzinho, nossa me assustei, estava aberto, todo arregaçado. Ele saiu do banho, tomei o meu, saímos do hotel e pegamos a BR, vínhamos conversando e eu querendo mais pica, não queria que ficasse só nisso, até que chegando em Pelotas fomos comer no subway , e pedi para ficar em casa, pediu para me ver a noite, como iria viajar no outro dia e ficaria fora uma semana, queria que “se  despedir” de mim e que eu não iria me arrepender, pois se eu quisesse ele me queria, ou seja praticamente me pediu em namoro, eu me despedi com um beijão na boca, e falei que a noite o esperaria para irmos para o apto dele.

Veja outros contos porno abaixo:

Adorei ser abusada no trote da faculdade

Primeira foda com um casal

10835 views

Contos Eróticos Relacionados:

Evangélica deu o cu para o muleque

Evangélica deu o cu para o muleque - Olá me chamo  Amanda sou morena 1,70 de altura cabelos longo , seios médio e bumbum medio, Conheci o site através de uma amiga a gente conta muita coisa uma...

LER ESTE CONTO

Lua de mel de minha esposa foi com outro – 3° noite

Na 3° noite da lua de mel da minha esposa com o rapaz que contratamos foi da seguinte forma, após a 2° noite passamos a parte da manhã no hotel descansando, vindo só sair na parte da tarde para...

LER ESTE CONTO

Professor de violão fazendo sexo com casal de alunos

Professor de violão fazendo sexo com casal de alunos, um conto de sexo completo, com muita putaria e que garanto que todos vocês irão gostar muito. Conto cheio de putaria e sem frescura nenhuma. O...

LER ESTE CONTO

Lua de mel de minha esposa foi com outro – 1° noite

Meus amigos(as) como já relatado em outros contos que sou uma marido liberal, e que devido a minha idade em relação a minha esposa, e com o problema de saúde que me afetou a minha vida sexual,...

LER ESTE CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 1 + 3 = ?

ContoErotico.Blog - O Seu Site de Contos Eróticos 

Aqui no Blog Conto Erótico, nós trazemos todos os tipos de contos eróticos para alegrar e animar o seu dia. Nossos contos eróticos são enviados por nossos leitores e colocados aqui para excitar a todos. Sempre postamos contos eróticos com fotos, pois sabemos que isso deixa a história mais real e fácil de ser imaginada. Histórias porno, contos picantes, contos de sexo, fábulas eróticas, não importa qual o nome você dê, nós traremos tudo que você precisa para se divertir.

Todos os nomes dos contos eróticos são alterados por nossa equipe para preservar a identidade de todos, e todos os personagens que participam de nossas histórias eróticas são maiores de 18 anos.

Contos Eróticos Com Fotos

Todos os nossos contos tem pelo menos uma foto, pois sabemos que ler um conto erótico com foto é bem melhor do que só ler uma história solta, sem nenhuma imagem para ilustrar. As fotos dos nossos contos são meramente ilustrativas, são retiradas da própria internet, de sites pornográficos que divulgam essas imagens de forma gratuita.

Caso alguma imagem dos nossos contos eróticos com fotos pertença a você e você quer que seja removida, basta entrar em contato e enviar o link do conto que faremos a substituição. Algumas imagens também são enviadas pelos próprios autores dos contos.

Caso você precise entrar em contato conosco, basta usar a nossa página de contato.

Para enviar contos eróticos para serem publicados em nosso site, vá até a página "Enviar Seu Conto Erótico" e escreva sua história que postaremos aqui.

Buceta - Xvideos - Video de Sexo - Filme Porno - Porno Brasileiro - Zoofilia - Porno - Xvideos PutinhasMulheres Peitudas - Porno Nacional - Porno Argentino - Acompanhantes Campinas - Pornozao - Acompanhantes RJ - Porno Gratis - Contos Eróticos - Sexo Gay - Dog Porn - Sexo Com Animales - Contos Eróticos Incesto - Relatos Calientes - Porno Buceta - Ursos Pelados - Pornolandia - Cnnamador - Xvideo - Xvideos Porno - X videos - Corno Blog - Mega Filmes - Putaria Telegram - Xvideos Onlyfans - Homem Pelado

Contos Eróticos

© 2024 - Conto Erótico - ThePornDude